André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Futuro presidente do BC é nomeado assessor de Guedes e deve ir a Davos

Roberto Campos Neto ainda depende de aprovação do Senado para assumir o Banco Central; sem cargo, ele não poderia ir ao Fórum Econômico Mundial

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2019 | 17h23

BRASÍLIA - O economista Roberto Campos Neto foi nomeado assessor no gabinete do ministro da Economia, Paulo Guedes. O ato foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 11. Com a nomeação, Campos Neto deve fazer parte da comitiva que irá a Davos, na Suíça, para o Fórum Econômico Mundial, de 22 a 25 de janeiro.

Indicado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, para o cargo de presidente do Banco Central, Campos Neto ainda precisa passar por sabatina e aprovação do Senado, antes de assumir o comando da autarquia. Este processo deve ocorrer apenas em fevereiro.

Assim, sem um cargo formal no BC, Campos Neto não poderia participar do fórum, no fim de janeiro. A nomeação, que o vincula ao Ministério da Economia, resolve a questão. Campos Neto deve ficar no cargo de assessor até que a aprovação no Senado ocorra.

Além de Campos Neto e de Bolsonaro, a comitiva brasileira a Davos deve contar com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. O atual presidente do BC, Ilan Goldfajn, não irá ao fórum.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.