finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

G-20 estabelece cronograma para troca de informações

Ministros das Finanças dos países do Grupo dos 20 (G-20) concordaram com um detalhado cronograma para intercâmbio de informações sobre suas políticas, tendo como meta a retomada do equilíbrio da economia global.

AE, Agencia Estado

07 de novembro de 2009 | 15h45

Os ministros de Finanças e presidentes de Bancos Centrais do G-20 começarão a discutir opções para garantir que a economia global cresça de modo mais sustentável e balanceado em janeiro, divulgando seus programas nacionais e regionais e suas previsões econômicas. Em abril, eles esperam concluir a troca de informações, com o objetivo de fornecer dados aos líderes do G-20 para o encontro deles em junho. Em novembro, as autoridades pretendem desenvolver recomendações mais específicas sobre suas políticas.

No último encontro do G-20 em setembro, em Pittsburgh, os líderes do grupo concordaram em uma abordagem que prevê a revisão pelos pares, voltada a garantir que as políticas nacionais sejam consistentes com o balanço da economia global.

"O primeiro desafio no uso do cronograma será a transição de uma resposta à crise para um crescimento mais forte, sustentável e balanceado", notam os ministros de Finanças do G-20 em comunicado. O texto foi divulgado após as reuniões das autoridades na sexta-feira e neste sábado.

Como esperado, os funcionários concordaram em manter suas medidas de estímulo, apesar dos sinais de recuperação na economia global.

"As condições econômicas e financeiras melhoraram após nossa resposta coordenada à crise", afirma o comunicado. "Contudo, a recuperação é desigual e permanece dependente do apoio político, e o alto desemprego é uma grande preocupação. Para restaurar a saúde da economia global e do sistema financeiro, devemos manter o apoio para a recuperação até que ela esteja assegurada."

Os membros do G-20 concordaram em "desenvolver adicionalmente" suas estratégias de saída para a retirada dos estímulos. "Nós queremos cooperar e coordenar, levando em conta qualquer efeito colateral causado por nossas estratégias, e nos consultar e trocar informação quando possível", afirma o comunicado.

Clima

O G-20 não chegou a um acordo sobre os esforços financeiros para o combate à mudança climática. O grupo se comprometeu a trabalhar posteriormente no tema do financiamento no combate à mudança climática, para "definir opções de financiamento e arranjos institucionais".

As autoridades presentes afirmaram também que "estão ansiosas para discutir em nosso próximo encontro a revisão do FMI para as opções sobre como o setor financeiro pode contribuir para pagar pelos ônus associados às intervenções para reparar o sistema bancário". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
G-20Escóciacronograma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.