G-20 fecha acordo para manter medidas de estímulo

Líderes do G-20 fecharam acordo sobre o esboço de um comunicado para evitar a retirada prematura das medidas de estímulo econômico e para trabalharem juntos sobre a saída das medidas extraordinárias quando o momento for adequado, segundo a agência Reuters, citada pela Dow Jones.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 04h25

A versão preliminar do comunicado a ser emitido após dois dias de reunião em Pittsburgh diz que o G-20 sustentará uma forte resposta à crise global até que uma recuperação duradoura esteja assegurada, disse a agência.

O comunicado afirmaria ainda que os líderes concordaram em controlar os excessos financeiros, inclusive pela atuação conjunta para elevar os padrões de capital e de bônus a executivos. De acordo com o documento, o G-20 concordou em limitar a remuneração variável dos executivos de bancos a um porcentual da receita líquida total, quando essa remuneração for inconsistente com uma sólida base de capital.

Segundo a Reuters, o grupo também acertou o abandono gradual dos subsídios aos combustíveis fósseis ao longo do "médio prazo". O comunicado pede à Agência Internacional de Energia (AIE), à Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e ao Banco Mundial que analisem a abrangência desses subsídios e relatem suas conclusões até a próxima reunião do G-20. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
G-20estímulos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.