Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

G-20 lançará sistema de informação para conter volatilidade dos alimentos

Sistema também emitirá alertas antes de potenciais situações de crise

Gabriela Mello, da Agência Estado,

30 de setembro de 2011 | 11h18

CINGAPURA - O grupo dos 20 países industrializados e economias emergentes (G-20) lançará um sistema de informação sobre os mercados agrícolas, o chamado Amis, para administrar a volatilidade dos preços dos alimentos e emitir alertas antes de potenciais situações de crise, segundo Abdolreza Abbassian, secretário do Grupo Intergovernamental para Grãos da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Os termos de referência para o Amis, provavelmente o primeiro do tipo, agora estão ratificados, o que contribuirá para a coordenação reforçada das políticas entre os principais países, explicou Abbasian na noite de ontem.

A criação do sistema resulta dos pedidos feitos no começo do ano, particularmente pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, por maior transparência na negociação de commodities agrícolas em meio à alta dos preços. A FAO está entre as instituições multilaterais que fazem parte do secretariado do Amis.

A alta dos alimentos é uma preocupação fundamental para os governos, e muitos se encontram entre a difícil escolha de apertar a política monetária para conter a inflação e mantê-la frouxa o suficiente para sustentar o crescimento em meio aos sinais cada vez maiores de outra desaceleração econômica mundial.

Inicialmente, o sistema apenas monitorará os preços, o comércio, a produção e os estoques de trigo, arroz, soja e milho, e depois gradualmente se expandirá para abranger outras commodities, como açúcar, carnes e produtos lácteos, informou o secretário. Mais nações também estão sendo convidadas a se juntar ao Amis para eventualmente torná-lo para uma organização global.

Ainda que o G-20 represente quase 80% da produção e do comércio agrícola mundial, o sistema requer maior participação de países exportadores de arroz, acrescentou Abbasian. "O Amis tentará identificar quaisquer anormalidades nas tendências de mercado, como um déficit de produção, e, se necessário, serão emitidos alertas de uma crise iminente", disse ele.

Autoridades do Amis se reunirão em torno de meados de novembro para desenvolver um critério específico para a definição de anormalidades de mercado e a evolução de um mecanismo para combatê-las.

Em agosto, o Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) aumentou a frequência do índice de grãos e oleaginosas de semanal para diária, em um sinal de que a necessidade de uma ferramenta confiável para monitorar a atual volatilidade dos preços dos alimentos continua extremamente alta.

Atualmente, há uma infinidade de estatísticas disponíveis de instituições globais, o que torna difícil fazer projeções para a demanda e a oferta, observou Abassian. O Amis tentará consolidar as informações agrícolas, particularmente de produção, comércio e estoques, em uma única base de dados para administrar a volatilidade dos preços e fazer projeções precisas, afirmou ele. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.