G-20 vai criar ou salvar 11 milhões de empregos, diz OIT

Organização pede que medidas não sejam retiradas muito rapidamente para desemprego não agravar

MARCÍLIO SOUZA, Agencia Estado

18 de setembro de 2009 | 09h56

As medidas tomadas pelo G-20 (grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo) ajudarão a criar ou salvar até 11 milhões de empregos em 2009, estimou hoje o diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Juan Somavia. Segundo ele, essas medidas não podem ser retiradas muito rapidamente e a pressa em eliminá-las pode agravar a crise do desemprego.

Veja também:

especialPIB cresce 1,9% e Brasil sai da recessão

especialUm ano após auge da crise, economia se recupera

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialDicionário da crise 

especialComo o mundo reage à crise

Citando dados de um relatório da OIT que será apresentado durante a reunião do G-20 na semana que vem, nos Estados Unidos, Somavia disse que, se não fossem as políticas adotadas, o desemprego nos países do G-20 durante o primeiro semestre do ano teria sido entre 29% e 43% maior. Ainda assim, o número de pessoas desempregadas no mundo deverá ser recorde em 2009, ficando entre 219 milhões e 241 milhões, de acordo com o relatório da OIT. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseempregoG-20OIT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.