G-20 vai defender câmbio determinado pelo mercado

O G-20 vai "se mover na direção de um sistema cambial mais determinado pelo mercado", segundo uma prévia do comunicado dos ministros de Finanças e representantes de bancos centrais das 20 maiores economias do mundo, que vão se reunir no fim desta semana. O grupo também promete "evitar a desvalorização competitiva" de suas moedas, o que sugere que as autoridades poderão tomar uma posição mais clara contra o que tem sido chamado de "guerra cambial".

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

20 de outubro de 2010 | 12h26

No entanto, talvez refletindo uma preocupação de países asiáticos e outras economias dependentes de exportações, que temem um rápido avanço de suas moedas, a prévia do comunicado também diz que o G-20 vai minimizar "os efeitos adversos do excesso de volatilidade e os movimentos desordenados nas taxas de câmbio".

O comunicado final pode mudar substancialmente em relação à prévia, já que os debates estão apenas começando. Os vice-ministros de Finanças do G-20 vão se reunir amanhã em Gyeongju, na Coreia do Sul, e na sexta-feira e no sábado será a vez dos ministros e representantes de bancos centrais se encontrarem. As reuniões são uma preparação para a cúpula do G-20, marcada para os dias 11 e 12 de novembro, em Seul. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.