G-8 lança plano para aumentar confiança de investidores

Os líderes do G-8 lançaram um plano de ação nesta segunda-feira para restaurar a confiança dos investidores e favorecer o crescimento econômico. Em declaração divulgada hoje, os líderes disseram que a confiança dos investidores foi prejudicada internacionalmente por escândalos corporativos, os quais ocorreram em conseqüência de supervisões negligentes. A declaração destaca que a eficiência dos mercados depende de "sistemas legais críveis, regulamentação efetiva e práticas de governança corporativa transparentes". Os líderes dos governos dos EUA, Japão, Alemanha, França, Grã-Bretanha, Itália, Canadá e Rússia anunciaram também uma agenda para fazer com que as receitas de indústrias extrativistas, como de petróleo, gás e mineração, sejam mais transparentes. A declaração diz ainda que os líderes se comprometem a melhorar a integridade da economia mundial, buscando eliminar a lavagem de dinheiro, o crime financeiro e o financiamento ao terrorismo. O plano prevê que a fraude financeira será considerada universalmente crime e garantirá que os países tenham poder para identificar, congelar, apreender e até confiscar e dispor de ativos procedentes de tais crimes. O plano pretende assegurar que as empresas sejam contabilmente seguras a seus acionistas e melhorar a transparência e qualidade da informação financeira, ao promover padrões internacionais de contabilidade. O G-8 pediu aos responsáveis pela divulgação de informações financeiras - companhias, auditores, analistas, bancos de investimentos e agências de ratings - que sigam princípios de integridade, qualidade e acessibilidade. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.