Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Gabrielli diz ter certeza de existência de petróleo no pré-sal

Segundo presidente da Petrobras, só em Tupi a 'estimativa é de que haja entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris'

Leonardo Goy, da Agência Estado, e Lu Aiko Otta, de O Estado de S. Paulo,

28 de agosto de 2008 | 14h17

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, afirmou nesta quinta-feira, 28, que tem certeza da existência de petróleo nos 9 poços já perfurados pela empresa na região do pré-sal. "Somente em Tupi a estimativa é de que há de 5 bilhões a 8 bilhões de barris. Para se ter uma idéia do que isso representa, nossas reservas atuais são de 14 bilhões de barris", disse Gabrielli. Veja também:Mapa da exploração de petróleo e gásEntenda as discussões sobre as mudanças na Lei do Petróleo País pode ter o terceiro maior campo de petróleo do mundoA maior jazida de petróleo do País Ele que fez uma exposição sobre os investimentos da Petrobras, durante a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES, na qual destacou que a exploração da camada do pré-sal "exigirá muitos investimentos, tecnologia e capacitação para toda a cadeia do petróleo, que vai mudar de patamar". O presidente da Petrobras reafirmou que o plano de investimentos da empresa, sem contar o pré-sal, chega a US$ 112,4 bilhões até 2012. "Isso sem considerar os substanciais investimentos necessários para desenvolver o pré-sal". Segundo fontes do governo, já existe um grupo de trabalho formado por técnicos da Petrobras, do Ministério de Minas e Energia e do Desenvolvimento, encarregado de propor a reformulação da política industrial voltada para o setor de petróleo justamente para preparar o setor para a futura exploração da camada do pré-sal. Em sua exposição, Gabrielli fez um grande balanço dos últimos investimentos anunciados pela Petrobras. Ele citou a decisão de construir cinco novas refinarias até 2017. "Não há empresa no mundo com este programa de desenvolvimento do refino", afirmou. A obra mais significativa, segundo ele, é a construção de uma refinaria com capacidade para processar 600 mil barris por dia no Maranhão. Gabrielli também lembrou que até 2015 a Petrobrás pretende contratar 234 embarcações. Ele destacou que essa programação não inclui os investimentos no pré-sal.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasPetróleoPré-Sal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.