finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Gabrielli: mudanças na diretoria dependem do Conselho

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, admitiu hoje que uma mudança na diretoria da empresa está na dependência de decisão do Conselho de Administração da companhia. Indagado sobre os rumores de mudanças no primeiro escalão da empresa, que ganharam vulto hoje com a substituição de dois secretários executivos, Gabrielli afirmou que "esta decisão depende do conselho de administração, cuja presidência está nas mãos da ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff". Segundo ele, uma reunião extraordinária do conselho teria que ser convocada para decidir sobre a mudança. A próxima reunião ordinária do conselho está prevista para o dia 21 de setembro. O executivo frisou, entretanto, que as trocas de dois secretários executivos ocorreram por motivos distintos e não teriam qualquer relação com esses rumores de mudança na diretoria. No caso do gerente executivo de Relações com Investidores, Raul Campos, Gabrielli salientou que foi uma decisão pessoal. "Ele foi cuidar de projetos pessoais na iniciativa privada", disse Gabrielli. O diretor financeiro da estatal, Almir Barbassa, afirmou que a decisão de colocar interinamente Theodore Helms no lugar de Campos, se deve ao perfil ligado ao mercado internacional. "Ele é altamente competente, com 27 anos de casa e bastante experiente nessa área internacional. Isso é importante para a nossa empresa, porque 40% das ações estão nas mãos do mercado estrangeiro", disse.Sobre a saída de Alan Kardec, Gabrielli e Barbassa se limitaram a dizer que foi uma questão pontual entre Kardec e o diretor de Abastecimento, Paulo Roberto Costa. Gabrielli, inclusive chegou a afirmar que convidou Kardec para ser seu assessor direto para assuntos ligado ao biocombustível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.