Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Gabrielli: Petrobras avalia mudar proteção de dados

Depois do furto de informações sigilosas em computadores da norte-americana Halliburton, a Petrobras avalia mudanças no sistema de proteção dos dados colhidos em plataformas de petróleo. A afirmação foi feita pelo presidente da companhia, José Sérgio Gabrielli, em entrevista ao site Terra Magazine. O executivo confirmou que os dados referem-se à descoberta gigante de gás batizada de Júpiter, na Bacia de Santos, e poderiam ser usados por concorrentes interessados em explorar áreas próximas."Sim, podemos melhorar o sistema. Podemos, e devemos, não ter informação alguma mais contida aí (em computadores que são transportados em contêineres). Aprendemos isso agora, não temos que ter mais informação guardada aí, mas isso funciona assim no mundo inteiro", afirmou Gabrielli. Os equipamentos estavam em um contêiner usado como escritório pela americana Halliburton na plataforma de perfuração Ocean Clipper, que descobriu Júpiter. A carga deixou a plataforma no dia 18 de janeiro e chegou a Macaé no dia 30.Uma das lições a ser tirada do episódio, disse o executivo, é garantir que todos os dados sejam apagados dos computadores antes do desembarque das plataformas de perfuração. "Nesse caso, isso não aconteceu. (O computador) não estava limpo. A empresa que gerou os dados, no caso a Halliburton, ela mantém um backup desses dados..." Segundo ele, é praxe que a prestadora de serviços mantenha os dados enquanto realiza o trabalho, mas as informações devem ser apagadas ao fim do serviço. A Petrobras leva consigo cópias guardadas em discos rígidos.

NICOLA PAMPLONA, Agencia Estado

26 de fevereiro de 2008 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.