Gabrielli: Petrobras inova ao encomendar sondas no País

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, destacou hoje que a estatal está "inovando" ao encomendar sondas de perfuração junto à indústria naval brasileira. Segundo ele, o programa é arrojado por desafiar os estaleiros a desenvolverem a tecnologia para atender aos pedidos da empresa. Além disso, a estatal deverá se transformar na companhia com o maior número de sondas de perfuração sob seu comando. No total, destacou, serão 40 sondas de perfuração que deverão ser construídas no Brasil.Em discurso durante o evento de lançamento de um pacote de encomendas ao setor naval, no início desta tarde em Niterói (RJ), com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gabrielli relembrou a trajetória da estatal nesta seara. "Quando assumimos o comando - da Petrobras - nos diziam que seria impossível construir plataformas de petróleo no País com preço e prazo adequados.""Provamos que estavam errados. As plataformas de petróleo são especiais, utilizam diferentes tipos de tecnologia, diferentes tipos de máquinas. E o conteúdo nacional que no início foi tímido, vimos que foi crescendo com o tempo e com a recuperação da indústria naval. Mas para operar no mar são necessários outros equipamentos e sondas de perfuração que são poucas no mundo", disse, lembrando que agora será a vez de a estatal entrar nesta área. A companhia ainda vai encomendar 146 embarcações de apoio às plataformas, 23 navios petroleiros para a Transpetro e mais 19 navios que serão afretados pela área de Abastecimento.O governador do Rio, Sérgio Cabral, ressaltou a importância dessas encomendas para a geração de emprego e renda no Estado, com a retomada das atividades da indústria naval e reabertura, modernização e expansão dos estaleiros. "O presidente assumiu as rédeas do País para tocar adiante este projeto de desenvolvimento", afirmou. Além do governador do Rio, também estão presentes ao evento o governador da Bahia, Jacques Wagner, e os senadores Eduardo Suplicy e Paulo Duque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.