Gabrielli: preço da gasolina não tem relação com a CPI

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou que a queda no preço da gasolina e do diesel na refinaria, anunciada no início da noite pela estatal, não tem relação com a instalação da CPI no Senado para investigar a Petrobras. "Não tem nada a ver com a CPI", disse o executivo durante a gravação do Programa Roda Viva, da TV Cultura. "É uma decisão tomada hoje que tem fundamento econômico", disse. Segundo Gabrielli, a redução de 4,5% no preço da gasolina e de 15% no preço do diesel (na refinaria) é a diferença entre os preços praticados hoje pela estatal e as perspectivas futuras da empresa para o comportamento do preço dos combustíveis no mercado internacional.

TATIANA FREITAS, Agencia Estado

08 de junho de 2009 | 19h50

Segundo ele, o cálculo do preço da gasolina e do diesel considera o câmbio futuro, preço do petróleo no mercado futuro, perspectivas para a gasolina no mercado internacional e, consequentemente, a possibilidade de outros concorrentes em distribuição no Brasil começarem a importar gasolina, devido à diferença entre os preços internacionais e internos. Gabrielli disse também, durante a gravação do Programa Roda Viva, da TV Cultura, que a estatal não promoveu ajustes anteriormente porque aguardava uma definição mais clara do movimento dos combustíveis no futuro.

Questionado pelos jornalistas sobre o momento do anúncio, que ocorre em meio à instalação de uma CPI e seguidas denúncias apresentadas pela imprensa, o executivo respondeu: "a Petrobras não está sendo bombardeada pelo preço da gasolina".

Tudo o que sabemos sobre:
combustíveisPetrobrasCPI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.