Reprodução/Daily Mail
Reprodução/Daily Mail

Gaivotas se vingam de empresário contratado para combatê-las

Aves 'bombardeiam' por 14 dias seguidos o carro especialista em controle de pragas encarregado de expulsá-las

Economia & Negócios,

21 de agosto de 2013 | 12h48

 SÃO PAULO - Se fosse um filme, o nome poderia ser 'A Vingança das gaivotas'. Mas o caso é real e causou um prejuízo de R$ 1,9 mil a empresário inglês, dono de uma empresa especializada em controle de pragas.

A vítima da revolta dos pássaros é o empresário Jon Whitehead. Ele é pessoalmente responsável por ordenar a eliminação dos bandos de gaivotas.

Ao sair de férias, ele deixou um veículo Mercedes azul zero quilômetro na garagem descoberta da sua casa, em Seaford. Ao voltar, duas semanas depois, ele ficou assustado com o bombardeio das gaivotas na pintura dos carros.

Os fabricantes de veículos e de tinta para pintura automotiva investem em tecnologias para fornecer produtos resistentes à sujeira dos pássaros, mas ainda não chegaram a uma cobertura totalmente eficiente. Um estudo feito em 2008 pela empresa de seguros Zurique constatou que os britânicos gastam cerca de R$ 200 milhões por ano para reparar a pintura danificada por sujeira de pássaros.

Vingança. O diretor da empresa de controle de pragas Cleankill Serviços Ambientais lamentou o prejuízo sofrido com o ataques das gaivotas em entrevista ao jornal inglês Daily Mail: "Parte do meu trabalho é expulsar as gaivotas e remover os seus ninhos das calhas e telhados, por isso é como se os pássaros estivessem fazendo uma vingança contra mim."

O carro adquirido uma semana antes da viagem foi bombardeado pelas gaivotas durante 14 dias. Depois de lavar cuidadosamente a lataria durante mais de uma hora, o empresário desistiu e procurou ajuda profissional de uma funilaria, ao perceber que a sujeita havia corroído a pintura em algumas partes da lataria.

"As gaivotas usaram meu carro novo para a prática de tiro ao alvo", comentou o empresário na entrevista ao jornal inglês, explicando que o carro terá de receber um tratamento especial para recuperar a pintura.

Andy Melville, dono da Motorline Engenharia, que atendeu o empresário, explicou que a sujeira dos pássaros precisa ser limpa em algumas horas, caso contrário a pintura pode ser danificada. Em alguns casos, é necessário refazer a pintura.

"O clima quente combinado com a sujeira dos pássaros pode causar danos, se o veículo não for lavado com água e sabão em pouco tempo", explica o especialista.Ele diz que os reparos na pintura custam a partir de R$ 400, mas podem chegar a R$ 7,5 mil se o carro inteiro precisar receber nova pintura.

Tudo o que sabemos sobre:
ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.