Gamesa e Siemens anunciam fusão de negócios de energia eólica

Gamesa e Siemens anunciam fusão de negócios de energia eólica

A operação envolve a união da Gamesa com a área de energia eólica da Siemens; o acordo criará a maior fornecedora mundial de equipamentos eólicos

Luciana Collet, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2016 | 16h28

SÃO PAULO - A Siemens e a Gamesa anunciaram nesta sexta-feira que fecharam um acordo vinculante para fusão de seus negócios de energia eólica e criação da maior fornecedora mundial de equipamentos eólicos, segundo as empresas.

"Desta fusão, nascerá um grupo eólico com 69 GW instalados em todo o mundo, uma carteira de pedidos avaliada em  ‎€ 20 bilhões, receitas de  ‎€ 9,3 bilhões de euros e um Ebit ajustado de  ‎€ 839 milhões, segundo dados pró forma dos últimos doze meses até março de 2016", destacou a Gamesa, em comunicado.

A operação envolve a união da Gamesa com a área de energia eólica da Siemens, incluindo a unidade de serviços operacionais e de manutenção. A gigante alemã receberá ações de emissão da empresa resultante da operação que corresponderão a 59% do capital social, enquanto os acionistas atuais da Gamesa terão os 41% restantes. Ainda como parte do acordo, a Siemens pagará  ‎€ 3,75 por ação aos acionistas da Gamesa.

A nova empresa terá sede na Espanha, onde também estará o centro de operações onshore, enquanto o negócio offshore ficará em Hamburgo (Alemanha) e Vejle (Dinamarca).

Adicionalmente ao acordo, a Gamesa informou que também fechou um acordo com a Areva, para que a companhia francesa elimine as restrições que existiam no contrato de criação da Adwen, joint venture entre Areva e Gamesa para o negócio offshore, simplificando a operação entre Gamesa e Siemens. Como parte destes acordos, Gamesa - alinhada com a Siemens - outorga à Areva uma opção de venda (put) sobre sua participação de 50% na Adwen e uma opção de compra (call) sobre a participação de 50% de Gamesa. Ambas opções expiram em três meses. Durante esse mesmo prazo, a Areva pode buscar um investidor para a Adwen.

No comunicado, as empresas destacaram que as atividades da Siemens e da Gamesa são complementares tanto em presença geográfica como na carteira de produtos e em tecnologia. "A companhia resultante terá um alcance global nos principais mercados eólicos e presença industrial em todos os continentes: o negócio de energia eólica da Siemens conta com uma sólida posição na América do Norte e no norte da Europa e a Gamesa, nos mercados emergentes de rápido crescimento como Índia e América Latina, assim como no sul da Europa", destacaram.

Mais conteúdo sobre:
Energia Eólica Siemens

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.