Ganhos com fundos Petrobras

Optantes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) que fizeram a aplicação de até 50% do saldo da conta vinculada em cotas de fundos de ações da Petrobras contabilizavam, até a cota de ontem, ganho médio de cerca de 67.30%. Esse ganho corresponde ao rendimento de quase dez anos do FGTS, considerando uma Taxa Referencial (TR) mensal de 0,20% e os juros anuais de 3% que corrigem esses saldos.A aplicação começou a render com base no desempenho das ações ordinárias (ON, com direito a voto) da empresa no dia 17. Além disso, o rendimento acumulado inclui o desconto de 20% dado ao cotista na aquisição dos papéis na oferta pública feita pelo governo. Com esse desconto, aplicado sobre o valor de venda pelo governo, de R$ 43,07, cada ação foi adquirida por R$ 34,46 nesse dia. Ganhos menoresComo no mercado à vista a ação estava ontem cotada por R$ 57,65, a variação é de 67,30%. O ganho do cotista é um pouco menor do que esse porque há o desconto de taxa de administração, na média de 1% ao ano, e das despesas do administrador com a gestão dos recursos. A maioria dos fundos está com 100% do patrimônio aplicado em ações da Petrobras. O FGTS perde até mesmo para a caderneta de poupança, a aplicação de renda fixa menos rentável. Tanto o FGTS como a caderneta são corrigidos pela TR, mas o Fundo tem juro de 3% ao ano e a caderneta, de 6%.De acordo com estudos da Fator Doria Atherino, o preço-alvo de Petrobras, a ser atingido em 12 meses, é de R$ 66, 40. Com isso, o rendimento para os optantes poderá chegar a 93%, mas caso saia da aplicação antes de seis meses, será menor, porque o optante perderá o desconto. Para saque do 6.º ao 12.º mês, perde-se metade do desconto.Prazo encerradoO optante pôde usar o FGTS para aplicar em ações da Petrobras até 7 de agosto. Agora, não é mais possível fazer essa aplicação nem sacar o dinheiro da conta para destiná-lo a outra aplicação financeira. Assim, exceto nos casos previstos em legislação, o optante não pode movimentar esse dinheiro e ele pode fazer o saque livremente apenas nestas condições: demissão por justa causa, aposentadoria, aquisição da casa própria e tratamento de Aids ou câncer - neste caso, dele mesmo ou do dependente.Em situação de morte do titular, os herdeiros podem também fazer o saque da conta. Contas inativas que ficaram três anos sem receber depósito até 13 de julho de 1993 também podem ser sacadas a qualquer momento. As que completaram ou vierem a completar três sem depósito depois dessa data podem ser retiradas no mês de aniversário do optante, desde que o titular não tenha trabalhado com registro em carteira nos últimos três anos.Existe a expectativa de o governo oferecer nova oportunidade aos optantes para investimento do saldo do fundo em ações, desta vez na privatização de Furnas, do sistema Eletrobras. Não há previsão segura de quando isso poderá ocorrer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.