entrevista

E-Investidor: "Juro baixo tira o dinheiro dos rentistas e leva para as empresas", diz CEO da Valora

Ganhos com os novos serviços públicos digitais

Os dados mostram que a população vem optando cada vez mais pelo atendimento online

Notas & Informações, O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2020 | 03h00

Crescente há anos, o acesso online a serviços públicos registrou um grande aumento depois que a pandemia do novo coronavírus atingiu o País e alterou profundamente a vida das pessoas e as atividades econômicas. O governo federal vem procurando atender a esse crescimento, que foi notável em abril. Depois do registro dos primeiros casos de contaminação de brasileiros pela covid-19, as autoridades federais aceleraram a transição da era dos documentos em papel para os serviços online e criaram 130 serviços digitais.

Necessária em tempos normais para acelerar os procedimentos burocráticos, facilitar a vida dos cidadãos no seu relacionamento com o Estado e reduzir custos administrativos do setor público, a digitalização dos serviços do governo tornou-se essencial com a pandemia.

Registros da Secretaria de Governo Digital, do Ministério da Economia, mostram que o número de usuários ficou relativamente estável nos dois primeiros meses do ano (4,6 milhões de diferentes pessoas em janeiro e 4,1 milhões em fevereiro), mas registrou alta de 63% em março (6,7 milhões de pessoas), quando as medidas de enfrentamento da pandemia começaram a afetar a vida dos cidadãos e das empresas. Em abril, porém, houve um salto de 108% (14 milhões de pessoas), sempre na comparação com o mês anterior.

Os serviços mais acessados no Portal Gov.br nos últimos meses são, claramente, aqueles voltados para a concessão de benefícios. Pela ordem de solicitação, esses serviços são inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais, pedido de auxílio emergencial de R$ 600, pedido de seguro-desemprego, saque de abono salarial e emissão de comprovante do Cadastro Único. Seguem-se serviços normalmente de grande demanda, como obtenção de Carteira de Trabalho, consulta de informações cadastrais no CPF, informações sobre o coronavírus, obtenção de benefícios do Bolsa Família e cadastro de recurso relativo ao seguro-desemprego.

Os dados mostram que a população vem optando cada vez mais pelos serviços online – em parte dos casos por absoluta necessidade – e que o governo vem procurando atender a essa demanda. O objetivo, segundo o secretário do Governo Digital, Luís Felipe Monteiro, “é que o governo esteja na palma da mão de todos os brasileiros, onde o cidadão estiver”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.