Garcia defende medidas contra queda do dólar

O assessor internacional da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, defendeu as ações adotadas ontem pelo governo para conter a desvalorização do dólar. "Se as medidas não tivessem sido tomadas, os efeitos teriam sido muito mais deletérios, porque não são problemas ligados exclusivamente à economia brasileira, mas sim de âmbito internacional", afirmou Marco Aurélio, no Peru, onde acompanhará hoje a posse do presidente eleito Ollanta Humala.

TÂNIA MONTEIRO, ENVIDA ESPECIAL, Agencia Estado

28 de julho de 2011 | 10h22

"Não é um problema só da relação dólar-real. É um problema da relação do dólar com o conjunto das moedas. É por isso que estamos preocupados, entre outras coisas, com as medidas de política econômica que estão sendo discutidas no momento atual com os Estados Unidos".

O assessor da presidente Dilma Rousseff lembrou que, com as medidas adotadas ontem, o dólar cedeu, suspendendo a queda dos últimos dias, que levou ao menor índice da moeda desde 1999. "Nós conseguimos dobrar esta tendência inflacionista, e nós estamos agora enfrentando os temas cambiais com muita coragem", argumentou ele, acentuando que "a decisão do governo de taxar os derivativos vai ter um impacto muito positivo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.