Garoto prevê exportação 10% maior em 2002

A Chocolates Garoto, maior exportadora brasileira de chocolates, com 60% das vendas do País desse produto ao exterior, projeta para este ano um crescimento de 10% nas vendas ao mercado internacional em relação a 2001. A informação é do gerente de comércio exterior da empresa, José Ricardo Cicone. Segundo ele, a projeção da empresa está baseada na abertura de novos mercados e na consolidação da marca no mercado internacional. No ano passado, a Garoto conquistou mercados como Costa Rica, República Dominicana e Belize, entre outros.Esses motivos também foram os responsáveis pelo desempenho verificado no ano passado pela empresa. Em 2001, o resultado das exportações superou as estimativas da Garoto ao registrar acréscimo de 3% no volume embarcado, totalizando 10,5 mil toneladas, ante 9,5 mil previstas. As exportações representam cerca de 16% do faturamento bruto da companhia, que ficou em R$ 454 milhões em 2000 - os dados do ano passado ainda não foram divulgados -, 12,6% acima do que o resultado anterior. "Nem mesmo a crise na Argentina afetou as exportações da Garoto", afirmou o executivo. Mercados - Para se ter uma idéia, o Mercosul foi o destino de 35% das vendas feitas para o exterior. No Uruguai, a Garoto continua sendo líder, com 40% do mercado total de chocolates. Cicone destacou que os atentados aos Estados Unidos em setembro não implicaram em prejuízo para a Garoto. "As exportações para a Arábia Saudita, Líbano, Catar e Israel se mantiveram", disse. A América do Norte, por sua vez, recebe 30% do que a Garoto vende no exterior. Chile, Coréia, México e Estados Unidos estão entre os países que mais importaram produtos da marca no ano de 2001. Bombons sortidos fazem parte da lista dos produtos mais consumidos no mercado externo. No México, a Garoto é líder em vendas deste tipo de produto. Expansão - Em outubro, a Garoto firmou uma parceria com a empresa espanhola Alimex 21, que irá distribuir com exclusividade os produtos da marca no país. A expectativa é alcançar, até 2004, 3% de participação do mercado espanhol. O acordo é estratégico para a entrada dos produtos da Garoto em todo o continente europeu. Na Europa, a marca Garoto é conhecida entre os consumidores portugueses, país para o qual a empresa retomou recentemente suas exportações.Em 2001, a empresa também inaugurou um centro de distribuição no Chile, resultado de uma parceria firmada com empresários locais, proprietários da Lagos Del Sur Indústria de Alimentos. A parceria é a maior da empresa fora do Brasil, e receberá embarques mensais de aproximadamente 200 toneladas até final do primeiro trimestre de 2002. Segundo Cicone, as exportações para o mercado chileno registraram um crescimento superior a 400% no ano de 2000, o que justificou a abertura da distribuidora. A expectativa para 2002 é aumentar em 25% as vendas para aquele país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.