Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Gasoduto no AM atingirá capacidade máxima em 2010

O gasoduto Urucu-Coari-Manaus só vai atingir sua capacidade máxima de transporte, de 5,5 milhões de metros cúbicos, em setembro de 2010. A Petrobras afirma que, a partir de amanhã, começará a disponibilizar para as termelétricas 4,1 milhões de metros cúbicos por dia, entregues de maneira gradativa nos próximos meses, até atingir a capacidade máxima. "Conforme vai aumentando a demanda, cresce a oferta via este gasoduto. Ele começa com uma capacidade bem menor e vai crescendo na medida em que a carga da ponta aumenta", afirmou hoje o presidente da companhia, José Sérgio Gabrielli, durante a cerimônia de inauguração do gasoduto em Manaus, com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

KELLY LIMA, Agencia Estado

26 de novembro de 2009 | 15h15

O gás que virá das reservas da Petrobras em Urucu, no meio da selva amazônica, priorizará o abastecimento das sete usinas termelétricas instaladas no entorno de Manaus. Lula participa hoje da inauguração do fim da linha do gasoduto, com apenas 77 mil metros cúbicos por dia sendo aproveitados pela refinaria Isaac Sabbá. Todo o gasoduto, com 667 quilômetros, custou R$ 4,58 bilhões.

Gabrielli destacou ainda que o volume a ser transportado pode ser ampliado para atender a demanda local por gás natural, após o atendimento das térmicas. "A demanda vai crescer na medida em que as térmicas começarem a modificar seus motores e substituir os combustíveis hoje utilizados pelo gás, que é mais limpo", disse. Porém, a substituição do óleo diesel por gás, segundo o presidente da Petrobras, vai se dar paulatinamente. "Nós sabemos que a capacidade de geração elétrica está no seu limite no Estado e seria uma irresponsabilidade tentarmos fazer uma substituição imediata de todo o combustível", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
gasodutoAmazonasPetrobrasGabrielli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.