Gasolina adulterada chega a 180 milhões de litros por mês em SP

Pelo menos 180 milhões de litros de gasolina comercializados por mês em todo o Estado de São Paulo são adulterados. A revelação foi feita hoje pelo deputado estadual Arnaldo Jardim, relator da CPI na Assembléia Legislativa que investiga as irregularidades no mercado de combustíveis. Em entrevista concedida esta manhã ao programa Bom Dia São Paulo, da TV Globo, o parlamentar informou que já foram ouvidas 48 pessoas, entre elas donos de postos, distribuidoras e representantes da Agência Nacional do Petróleo.Também foram realizadas blitze que possibilitaram identificar vários envolvidos na adulteração de gasolina. Jardim afirmou que a atuação da Máfia dos Combustíveis começou a partir da desregulamentação do setor. "Com a liberdade dos preços, multiplicaram-se as distribuidoras e criaram-se normas muito confusas para uma fiscalização muito frágil. Daí as fraudes se estabeleceram e ganharam um volume assustador. Em algumas regiões de São Paulo, o combustível adulterado chega a mais de 20%. A Máfia dos Combustíveis é extensa e muito poderosa".Para tentar combater o problema, o deputado falou que a CPI já propôs diversas medidas à Polícia de São Paulo e à Secretaria Estadual da Fazenda. Segundo ele, apesar da forte atuação dos golpistas, é possível mudar esse quadro. "Primeiro, passamos a ter a marcação dos solventes, o que é muito importante. Além disso, passamos a propor uma série de mudanças tributárias porque, em função de uma confusão nesse setor, muitos se aproveitaram para praticar as fraudes. Apertamos também a fiscalização com várias blitze, onde vários envolvidos foram identificados", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.