Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Wilson Junior/Estadão
Wilson Junior/Estadão

Gasolina do Rio de Janeiro é a 2ª mais cara do País

Combustível chega a custar R$ 4,998 na cidade

Fernanda Nunes e Rafael Cicconi, especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

20 de janeiro de 2018 | 21h00

Mesmo próximo das maiores refinarias da Petrobrás, o Rio de Janeiro está no topo da lista dos Estados que pagam mais caro pela gasolina, atrás apenas do Acre, segundo levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O litro do combustível era vendido na capital fluminense por até R$ 4,998, na semana passada. 

Em um posto da região central da cidade, o gerente Diego Pontes conta que o movimento caiu nos últimos meses. Para compensar, o posto optou por cortar custos. “Não chegamos a demitir. Mas estamos economizando. Em água, por exemplo. E acabamos com o cafezinho do lado da bomba, para todos os clientes.” 

Os consumidores também buscam alternativas para economizar. O motorista profissional Milton Santos, de 60 anos, diz que passou a deixar o carro mais tempo na garagem e que “o jeito tem sido andar mais de bicicleta”. “É claro que não estou satisfeito. O governo só dificulta a nossa vida.” Ele afirma que, no dia a dia, não tem sentido os efeitos da queda da inflação oficial. 

O agente fiscal Nazareno dos Santos, de 65 anos, está buscando alternativas para diminuir os gastos. “Até o mês passado, a gasolina estava a R$ 3 e pouco. Agora, está a R$ 5. Passei a economizar mais em casa, a gastar menos no supermercado.”

Vizinhos. Cubatão, cidade litorânea com 127 mil habitantes a 70 quilômetros de São Paulo, tem cenário diferente de suas vizinhas. Sem praias, o município tem como base da economia as empresas do polo industrial, dentre elas a Refinaria Presidente Bernardes, da Petrobrás. Mas a localização também não ajuda quem precisa abastecer seu veículo por lá.

De acordo com a ANP, Cubatão é a quarta cidade de São Paulo com os preços mais altos de combustíveis nos postos. O motorista particular George Harynson Vieira de Almeida, de 25 anos, diz que vai para cidades vizinhas, como Santos e São Vicente, para abastecer seu carro. “Só coloco gasolina no carro por aqui se eu estou na reserva.”

A média dos preços em Cubatão é de R$ 4,214, segundo a ANP, mas na Avenida 9 de Abril, a principal da cidade, é possível encontrar a gasolina comum até por R$ 4,289. 

“Já cheguei a pagar de R$ 0,70 a R$ 1 a menos por litro nas cidades vizinhas. Não dá para entender: como temos um combustível tão caro, se temos uma refinaria a apenas dois quilômetros de distância do posto?, questiona o jornaleiro Jason dos Santos, de 35 anos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.