Gasolina fica mais barata na bomba só após o feriado

O consumidor ainda vai pagar caro pela gasolina antes de viajar para o feriadão do Dia do Trabalhador. De acordo com estimativas de distribuidoras e revendedores de combustíveis, a redução de preços que entra em vigor nesta quarta-feira nas refinarias da Petrobras só chegará integralmente às bombas no fim de semana."Hoje ainda recebemos produtos com preços antigos e temos algum estoque nestas condições. Só no sábado deveremos sair com uma nova tabela", disse o diretor-superintendente da Ale Combustíveis, Cláudio Zattar. Segundo ele, o repasse integral pelos postos da rede Ale só será feito na segunda-feira e a redução no preço da gasolina ficará em torno de 3,5%.O diretor de abastecimento da Esso, Leonardo Gadotti Filho, concorda que a gasolina não baixará antes do feriado. Ele avalia que o repasse aos postos será mais rápido que em outras ocasiões em que os preços foram reduzidos. "O anúncio foi feito com antecedência e os postos reduziram seus estoques. Por isso, a substituição será mais rápida".O presidente da Federação Nacional do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes (Fecombustíveis), Gil Siuffo, acredita que em mercados mais competitivos já será possível perceber alguma alteração nos preços na quarta-feira. "Por causa da concorrência, em alguns mercados o repasse será imediato". Mas ele diz que não é possível estimar quando a redução chegará a todos os postos.Em alguns Estados, como o Rio, por exemplo, um maior repasse às bombas dependerá ainda de revisão na base de cobrança do ICMS. Isso ocorre porque 19 Estados cobram o imposto sobre um preço presumido de venda nos postos, definido de acordo com a política de preços da Petrobras. Quando a estatal altera a tabela, os governos estaduais aumentam ou reduzem o preço presumido na mesma proporção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.