coluna

Louise Barsi: O Jeito Waze de investir - está na hora de recalcular a sua rota

Gasolina fica mais cara a partir deste sábado

O litro da gasolina está mais caro a partir deste sábado. As refinarias de combustível foram autorizadas pela Petrobras a repassar um reajuste de 9,39%. O preço final na bomba, entretanto, é definido por posto, pois está liberado.Em São Paulo, alguns estabelecimentos já estavam operando com novas tabelas nesta quinta-feira, com aumentos que variavam de 6,7% a 14,4%. No Rio de Janeiro, os reajustes nas bombas devem ficar entre 7% e 9%. Este é o segundo aumento de preço da gasolina neste mês.No início de março, a Petrobras já havia reajustado os preços em 2,2%, índice que, segundo os donos de postos, ainda não havia sido repassado aos consumidores. Com esse novo reajuste, a gasolina ficará 3,7% mais cara do que em dezembro de 2001, quando o presidente Fernando Henrique Cardoso anunciou uma redução de 25% no preço do combustível nas refinarias. Este índice não chegou a ser repassado integralmente ao consumidor.O reajuste de março chegou em duas etapas, depois que um veto do presidente Fernando Henrique impediu que a Petrobras elevasse o preço em 16 de fevereiro, como estava inicialmente previsto. Na ocasião, o aumento seria de 2,28%.O mal-estar criado no governo obrigou o presidente da estatal, Francisco Gros, a fazer uma declaração pública, alegando que havia ocorrido um "curto-circuito" nas informações.Um posto instalado na Avenida Lins de Vasconcelos, no bairro do Cambuci, na zona leste de São Paulo, está vendendo o litro da gasolina a R$ 1,59, preço 14,39% acima do que era cobrado na semana passada. O mesmo preço é cobrado por outro posto na Rua Dr. Gentil de Moura, no bairro do Ipiranga. O reajuste neste caso foi de 6,7%.Já quem abastecer o carro no autoposto da Rua Lavapés, também no Cambuci, vai pagar R$ 1,49 pelo litro da gasolina, 7,2% a mais do que pagaria há uma semana.O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Paiva Gouveia, explicou que os postos estão liberados para reajustar preços desde janeiro, quando deixaram de ser controlados pelo governo. De qualquer forma, disse ele, não pode haver abusos. Ele sugeriu aos consumidores que façam pesquisa de preços antes de abastecer o veículo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.