Gasolina não deve ficar mais cara

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, disse nesta terça-feira que a estatal "não considera que tem que mover os preços (da gasolina) neste momento". Ele fez a afirmação em resposta a pergunta de um jornalista sobre como está, atualmente, a relação entre os preços praticados pela empresa e os do mercado internacional.Questionado se a estatal mexeria nos preços do combustível em ano de eleições presidenciais, Gabrielli afirmou que a política de preços da empresa considera o ajuste aos valores internacionais, mas amortecendo as flutuações de curto prazo nos mercados externo e brasileiro. "Essa política vem sendo insistentemente reafirmada pela empresa nos últimos quatro anos", afirmou. Nesta terça-feira, tanto em Nova York quanto em Londres, os preços internacionais do petróleo voltaram a subir, devido às preocupações dos investidores com o programa nuclear do Irã. A cotação do barril está na casa dos US$ 74,00. Segundo a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), realizada no final de maio, o governo não prevê reajuste nos preços dos combustíveis este ano. Tampouco está programado aumento nos preços do gás de cozinha.Texto atualizado às 21h07

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.