Gasolina segue mais competitiva do que o etanol na maioria do País

O preço da gasolina é mais vantajoso em 16 Estados, enquanto o etanol é mais competitivo em 8 Estados e no DF 

Gustavo Porto, da Agência Estado,

26 de outubro de 2010 | 11h24

Os preços da gasolina seguem mais competitivos do que os do etanol na maioria dos Estados brasileiros, de acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), compilados pelo AE Taxas, da Agência Estado, referentes à semana passada. O etanol é competitivo nos postos de combustíveis de apenas oito Estados brasileiros e do Distrito Federal e em 16 o uso da gasolina é mais vantajoso.

Na Bahia e no Ceará é economicamente indiferente o uso de um ou outro combustível. A vantagem do etanol é calculada considerando que o poder calorífico do motor a álcool é de 70% do poder nos motores à gasolina, ou seja, o motorista tem vantagem econômica com o preço do combustível de cana até esse porcentual do valor cobrado nos postos pelo derivado de petróleo.

Além do Distrito Federal, o etanol é competitivo em relação à gasolina nos Estados de Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins. Mato Grosso segue com a maior competitividade para o etanol no Brasil, de acordo com os preços levantados pela ANP, com o preço médio do hidratado em 59,57% do cobrado pela gasolina. Em Estado de São Paulo, que concentra quase 60% do consumo de etanol, a proporção está em 64,06%.

Segundo o levantamento, além de Mato Grosso e São Paulo, o preço médio do etanol no Distrito Federal está em 67,79% do da gasolina, em Goiás em 61,40%, no Maranhão (69,49%), no Paraná (66,03%), em Mato Grosso do Sul (66,18%), no Rio de Janeiro (69,30%), e em Tocantins (64,93%). A gasolina está mais vantajosa principalmente em Roraima (preço do etanol é 82,25% do valor da gasolina) e no Acre (80,33%). No cálculo, são utilizados valores médios coletados em postos em todos os Estados e no Distrito Federal.

Etanol sobe em 17 Estados e no DF

Os valores médios do etanol hidratado subiram em postos de 17 Estados e do Distrito Federal na semana passada, de acordo com dados coletados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e compilados pelo AE Taxas, da Agência Estado. Nos postos brasileiros, a alta semanal foi 0,7% e, segundo a ANP, o preço do etanol ficou em R$ 1,716 na média brasileira da semana passada, ante R$ 1,704 na semana anterior.

O maior reajuste, de 8,77%, foi nos postos de Rondônia. De acordo com os dados apurados pela ANP, o preço médio do litro do etanol naquele Estado variou de R$ 1,858 para R$ 2,021 na semana passada. Em São Paulo, maior produtor nacional do combustível, após a alta de 4,24% na semana anterior, o preço recuou 0,32% na semana passada. O litro do hidratado nos postos paulistas ficou em R$ 1,567, em média, na última semana, ante R$ 1,572 na semana anterior.

Em Minas Gerais, segundo maior produtor, o preço do hidratado saltou 0,67% na semana, de R$ 1,782 para R$ 1,794 e, no Paraná, terceiro maior produtor, o valor médio subiu 1,35%, de R$ 1,630 para R$ 1,652, se comparados os mesmos períodos.

Além de São Paulo, as cotações recuaram em apenas cinco unidades da federação (Acre, Alagoas, Amazonas, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul) e ficaram estáveis no Amapá, na Paraíba e em Tocantins. A maior baixa, de 0,69%, ocorreu nos postos gaúchos.

Mesmo com as altas, na média de preços do Brasil o etanol ainda segue mais competitivo do que a gasolina. Em relação ao preço médio da gasolina no País, de R$ 2,570 por litro, o preço do etanol, de R$ 1,716, está em 66,77% do combustível de petróleo. O valor do etanol ainda está abaixo dos 70% de ponto de equilíbrio com o da gasolina, o que torna o álcool mais competitivo no preço médio, mas não necessariamente na maioria dos postos.

No Brasil, o preço mínimo registrados para o etanol foi de R$ 1,238 por litro, no Estado de São Paulo. O preço máximo foi de R$ 2,79 por litro registrado no Acre. Na média de preços, o menor valor médio foi de São Paulo, de R$ 1,567 por litro e o maior também foi registrado no Acre, de R$ 2,365 por litro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.