Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Gasolina sobe 0,81% na 'prévia' da inflação de maio

IPCA-15 avançou 0,14% em maio e ficou abaixo das estimativas dos especialistas

O Estado de S.Paulo

23 Maio 2018 | 09h31

RIO – O preço da gasolina avançou 0,81% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) de maio, mas o movimento foi compensado pela deflação de 5,17% do etanol. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

+ Veja como foi o segundo dia de protesto dos caminhoneiros

O IPCA-15 avançou 0,14% em maio, abaixo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, que iam de alta de 0,20% a 0,47%, com mediana de 0,27%. 

+ Paralisação dos caminhoneiros afeta o agronegócio

Com a deflação do etanol, o grupo Transportes registrou deflação de 0,35% no IPCA-15 de maio, maior impacto negativo no índice, com 0,06 ponto porcentual. A deflação de 14,94% nas passagens aéreas também contribuiu para o desempenho do grupo Transportes. 

Contra os preços. Os caminhoneiros seguem no 3º dia de protestos motivados pelos sucessivos aumentos no preço dos combustíveis, fruto da nova política da Petrobrás de atrelar os valores do mercado interno às cotações internacionais do petróleo. Como a commodity está em alta (saiu de menos de US$ 50 o barril em julho do ano passado para cerca de US$ 80 agora), o diesel, assim como a gasolina, tem subido no mesmo ritmo.

O governo anunciou nesta terça-feira, 22, um acordo com o Congresso para baixar o preço do óleo diesel. A solução apresentada foi zerar a cobrança da Cide (uma tarifa que incide sobre os combustíveis) para o óleo diesel, o que deve provocar uma perda de R$ 2,5 bilhões de receita para o governo. Em troca, os parlamentares aprovariam o projeto que acaba com a  desoneração da folha de pagamento para alguns setores, o que renderia R$ 3 bilhões para os cofres públicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.