Gasto com BrT reduz lucro trimestral da Oi a R$ 249 mi

O grupo Oi (ex-Telemar) reportou um lucro líquido consolidado de R$ 248,7 milhões no segundo trimestre do ano, cifra 46,8% inferior à do mesmo período de 2007. A empresa informou, em seu balanço, que o resultado líquido menor deve-se a eventos não recorrentes no valor de R$ 333 milhões. Esse foi o preço pago pela Oi para a extinção dos litígios envolvendo a Brasil Telecom Participações, bem como para contratar serviços de consultoria e assessoria jurídica relacionada à aquisição do controle da Brasil Telecom (BrT).Esse dispêndio acabou por reduzir em 17,8% a geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações, na sigla em inglês) no confronto com o segundo trimestre do ano passado, que atingiu R$ 1,311 bilhão no balanço divulgado hoje.Sem o impacto negativo dos R$ 333 milhões pagos para sanar as brigas entre acionistas da BrT, o Ebitda da Oi teria sido de R$ 1,644 bilhão, acima do R$ 1,595 bilhão do segundo trimestre de 2007. A margem Ebitda, uma medida de rentabilidade, atingiu 28% no balanço do trimestre passado - entre abril e junho de 2007, havia sido de 36,6%.A receita operacional líquida do grupo de telefonia somou R$ 4,676 bilhões no segundo trimestre, cifra 7,32% superior à de igual intervalo do ano passado.

MICHELLY TEIXEIRA, Agencia Estado

31 de julho de 2008 | 18h03

Mais conteúdo sobre:
telefoniabalançoOi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.