Gasto de turistas da Europa e EUA no Brasil é mais que o dobro dos sul-americanos

O maior gasto per capita dos turistas da Europa foi dos espanhóis, com US$ 1.703; entre os visitantes da América do Sul, os chilenos foram lideram, gastando U$$ 791 cada um

Laís Alegretti e Murilo Rodrigues Alves, da Agência Estado, Agencia Estado

28 de agosto de 2013 | 11h05

BRASÍLIA - Os turistas que saíram da Europa e dos Estados Unidos para visitar o Brasil no ano passado gastaram mais que o dobro do que os visitantes oriundos da América do Sul, segundo levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), divulgado pelo Ministério do Turismo. O maior gasto per capita dos turistas da Europa foi dos espanhóis, com US$ 1.703. Entre os visitantes da América do Sul, os chilenos foram os que mais deixaram dinheiro no Brasil: U$$ 791 cada um.

A pesquisa apontou que 5,67 milhões de estrangeiros visitaram o Brasil no ano passado. Os argentinos foram os que mais vieram ao País, somando 1,67 milhão de visitantes. Em seguida, os Estados Unidos, com 586 mil. A Alemanha, com 258 mil turistas, ultrapassou o Uruguai, que enviou 253,8 mil pessoas. Com isso, os alemães ficaram na terceira posição.

O gasto médio dos estrangeiros em viagens de negócios no Brasil, de US$ 1.599, é quase o dobro das viagens a lazer, com US$ 877. No ano passado, 5,67 milhões de estrangeiros visitaram o Brasil. Entre os visitantes, 46,8% afirmaram ter visitado o Brasil a lazer, 27,9% vieram visitar parentes, conhecer destinos religiosos e fazer cursos ou compras. Outros 25,3% vieram a negócios.

São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba são os destinos mais visitados nas viagens de negócios. Nas vindas a lazer, Rio de Janeiro, Florianópolis e Foz do Iguaçu lideram o ranking.

Câmbio

O ministro do Turismo, Gastão Vieira, afirmou há pouco que "é preciso medir" se o patamar do câmbio atual terá impacto favorável à vinda de turistas estrangeiros ao Brasil. "É possível que isso não ocorra. Eles estão contidos na Europa com relação a custos. Em compensação, temos os americanos se recuperando", afirmou.

"Em 2012, o câmbio estava favorável ao real. Agora o dólar subiu pela recuperação da economia americana", ponderou após apresentar uma pesquisa que apontou que o preço dos produtos e serviços no Brasil foi o item que mais incomodou os estrangeiros no ano passado. Ele afirmou ainda que os estrangeiros que mais reservaram ingressos para a Copa do Mundo de 2014, que ocorrerá no Brasil, foram argentinos e americanos.

O quesito preços foi apontado por 56,1% dos entrevistados. Outros fatores com baixo grau de satisfação são a telefonia, com 67,7%, as rodovias, com 70%, os aeroportos, com 73% e a sinalização, com 76,5%.

Retorno ao País

Vieira afirmou que o alto índice de turistas que pretendem retornar ao Brasil "contraria as expectativas". "Um dado significativo, que contraria a expectativa, é que quem veio quer voltar. Isso demonstra satisfação com algumas ofertas de serviços, sobre as quais a nossa expectativa era de preocupação, em relação a táxi, restaurantes", disse.

O estudo aponta que 95,7% dos estrangeiros que visitaram o Brasil no ano passado têm intenção de retornar ao País. Outros 4,3% disseram não querer voltar. Segundo os responsáveis pela pesquisa, não foi questionado o motivo da falta de intenção de retorno.

Tudo o que sabemos sobre:
Fipeturismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.