finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Gasto no Natal cairá para 40% de entrevistados pela CNI

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 22, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que 40% dos brasileiros pretendem gastar menos nas compras de fim de ano em relação ao valor gasto em 2012. Outros 34% devem gastar o mesmo e só 11% disseram que os gastos serão maiores. Outros 9% responderam que não fazem ou não farão compras nesta época do ano.

SANDRA MANFRINI, Agencia Estado

22 de novembro de 2013 | 11h45

A pesquisa, intitulada Retratos da Sociedade Brasileira - Intenção de Compras, revela ainda que a disposição dos consumidores para gastar mais com as festas de fim de ano é maior entre as pessoas com renda familiar entre cinco e dez salários mínimos. Nessa faixa de renda, 14% pretendem gastar mais do que em 2012. O porcentual cai para 9% entre os que têm renda familiar de até um salário mínimo.

Segundo o gerente executivo da Unidade de Pesquisa da CNI, Renato da Fonseca, a redução dos gastos com as compras é resultado das dificuldades econômicas enfrentadas pela população. "Mais da metade dos entrevistados disseram que a situação econômica pessoal é regular ou ruim. Há ainda um maior endividamento da população e crescimento da inflação", analisa Fonseca, em nota divulgada pela CNI.

O levantamento mostrou também que para 43% dos brasileiros a situação econômica pessoal é regular; outros 14% acham que é ruim ou péssima. Os entrevistados apontaram, em uma lista de sete opções, os fatores determinantes para a decisão do valor a ser gasto com as compras. Para 28%, a inflação é o principal item considerado na hora da decisão para as compras do mês. Em seguida vêm a renda pessoal (22%) e a renda familiar (15%).

13º salário

A pesquisa da CNI aponta que apenas 42% da população recebe 13º salário. Além disso, apenas 39% o receberão na sua totalidade no fim do ano. Dentre os entrevistados que recebem 13º salário, 60% receberam parte ou sua totalidade de forma antecipada.

A pesquisa apurou que 24% da população está mais endividada do que há três meses. A maior parte das dívidas (59%) foi contraída por causa das dificuldades ou necessidades imprevistas. Dentro desse cenário, o destino mais citado para o 13º salário foi o pagamento de dívidas (52%). Em seguida, os entrevistados apontaram o pagamento de despesas diárias (30%); a compra de presentes e produtos de uso pessoal (18%). Outro destino citado por 14% dos entrevistados foi a utilização de parte ou sua totalidade para viajar ou tirar férias; e 15% também apontaram a poupança como destino do dinheiro.

A pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira - Intenção de Compras foi feita com 2.002 pessoas em 142 municípios, entre os dias 14 e 17 de setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
CNIRetratos da Sociedade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.