Gastos com educação influenciam alta de 0,8% do IPC-S, diz FGV

Índice de inflação acelerou na terceira semana de janeiro, e teve a maior alta desde junho de 2008

Alessandra Saraiva, da AE

23 de janeiro de 2009 | 08h26

O IPC-S da terceira semana de janeiro subiu 0,80%, contra alta de 0,69% na semana anterior, informou Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira, 23. As taxas de inflação mais fortes nos grupos Educação, Leitura e Recreação e Alimentação influenciaram a alta, a maior a terceira semana de junho de 2008, quando o indicador apresentou avanço de 0,89%. A taxa anunciada hoje ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE-Projeções, que esperavam um resultado entre 0,70% e 0,82% , sendo levemente superior à mediana das expectativas (0,79%). Segundo a FGV, o que mais contribuiu para este tipo de movimentação, nas duas classes de despesa, foram aceleração de preços em cursos formais (2,81% para 4,19%), no caso do grupo Educação; e aumento mais intenso de preços e deflação mais fraca, respectivamente, em frutas (3,39% para 4,46%) e em arroz e feijão (-2,51% para -0,75%), no caso do grupo dos alimentos. O ano escolar no ensino fundamental, médio e superior começa em fevereiro.Das sete classes de despesa usadas para cálculo do índice, quatro apresentaram taxas de inflação mais elevadas no período. Além das duas já citadas, é o caso das acelerações registradas nos preços de Despesas Diversas (de 0,34% para 0,36%) e de Habitação (de 0,30% para 0,32%).As outras classes de despesa apresentaram desaceleração de preços, na passagem do IPC-S de até 15 de janeiro para o índice de até 22 de janeiro. É o caso de Vestuário (de 0,09% para 0,01%); Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,58% para 0,49%); e Transportes (de 0,89% para 0,85%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.