André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Gastos de brasileiros no exterior têm leve recuo em outubro, aponta BC

Diferença entre o que os brasileiros gastaram no exterior e o que estrangeiros gastaram no País ficou deficitária em US$ 1,148 bi

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2018 | 11h53

As despesas de brasileiros no exterior totalizaram US$ 1,603 bilhão em outubro, valor que representa uma queda de 2,08% em relação ao mesmo do mês do ano passado, quando foram registrados US$ 1,637 bilhão em gastos nessa modalidade.

Em comparação com setembro (US$ 1,189 bilhão), no entanto, os brasileiros gastaram 35% a mais fora do País, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central nesta terça-feira, 27.

No mês passado, quando o dólar recuou 7,15% ante o real (considerando a ptax), a diferença entre o que os brasileiros gastaram lá fora e o que os estrangeiros desembolsaram no Brasil foi de um saldo negativo de US$ 1,148 bilhão. Em igual mês de 2017, o déficit nessa conta foi de US$ 1,174 bilhão.

O desempenho da conta de viagens internacionais foi determinado por despesas de brasileiros no exterior, que somaram US$ 1,603 bilhão em outubro, menos o gasto dos estrangeiros em passeio pelo Brasil, que ficou em US$ 455 milhões no mês passado.

No ano até outubro, o saldo líquido dessa conta ficou negativo em US$ 10,510 bilhões. Para 2018, o BC estima um déficit de US$ 13,0 bilhões para esta rubrica, mais que os US$ 13,192 bilhões de déficit registrados em 2017.

Superávit em conta corrente soma US$ 329 milhões em outubro

Após o superávit de US$ 32 milhões em setembro, o resultado das transações correntes ficou novamente positivo em outubro deste ano, em US$ 329 milhões, informou nesta terça-feira, 27, o Banco Central. A instituição projetava para o mês passado superávit de US$ 1,3 bilhão na conta corrente.

O número do mês passado ficou dentro do levantamento realizado pelo Projeções Broadcast, que tinha intervalo de déficit de US$ 1 bilhão a superávit de US$ 1,640 bilhão (mediana de US$ 805 milhões). O superávit do mês passado representa o melhor resultado para outubro desde 2006 (superávit de US$ 1,495 bilhão).

A balança comercial registrou saldo positivo de US$ 5,448 bilhões em outubro, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 3,142 bilhões. A conta de renda primária também ficou deficitária, em US$ 2,281 bilhões. No caso da conta financeira, o resultado ficou positivo em US$ 432 milhões.

No acumulado do ano até outubro, o rombo nas contas externas soma US$ 11,333 bilhões. A estimativa do BC, atualizada em setembro, é de déficit em conta corrente de US$ 14,3 bilhões em 2018.

Já nos 12 meses até outubro deste ano, o saldo das transações correntes está negativo em US$ 15,401 bilhões, o que representa 0,80% do Produto Interno Bruto (PIB). Este porcentual de déficit ante o PIB é o menor desde julho (0,76%).

Investimentos Diretos no País (IDP) ficam acima das expectativas

Os Investimentos Diretos no País (IDP) somaram US$ 10,382 bilhões em outubro. O resultado ficou acima das estimativas apuradas pelo Projeções Broadcast, que iam de US$ 5,100 bilhões a US$ 9,550 bilhões, com mediana de US$ 8,500 bilhões. Pelos cálculos do BC, o IDP de agosto também indicaria entrada de US$ 8,500 bilhões.

No acumulado do ano até outubro, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo somou US$ 67,508 bilhões. A estimativa do Banco Central para este ano, atualizada em setembro, é de IDP de US$ 72,0 bilhões.

No acumulado dos 12 meses até outubro de 2018, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 75,004 bilhões, o que representa 3,89% do Produto Interno Bruto (PIB).

Investimento em ações brasileiras é positivo

O investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou positivo em US$ 207 milhões em outubro. Em igual mês do ano passado, o resultado havia sido negativo em US$ 339 milhões.

No acumulado do ano até outubro, o saldo ficou positivo em US$ 744 milhões. Pelos cálculos do BC, o saldo das operações de investidores estrangeiros no mercado de ações será positivo em US$ 3,0 bilhões em 2018. Esta projeção considera as ações negociadas na Bolsa brasileira e no exterior e os fundos.

O investimento em fundos de investimentos no Brasil ficou positivo em US$ 404 milhões em outubro. No mesmo mês do ano passado, ele havia sido positivo em US$ 283 milhões. No acumulado do ano até outubro, houve retiradas de US$ 2,696 bilhões dos fundos de investimentos.

Já o saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País ficou positivo em US$ 1,545 bilhão em outubro. No mesmo mês do ano passado, havia ficado positivo em US$ 1,477 bilhão.

No ano até outubro, o saldo em renda fixa ficou positivo em US$ 1,883 bilhão. Para 2018, a estimativa do BC é de saldo neutro nas operações com renda fixa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.