Gates: doação de Buffett pode ajudar a curar as piores doenças do mundo

A doação de Warren Buffett de cerca de US$ 1,5 bilhão por ano para a Fundação Bill e Melinda Gates será usada para buscar curas para as piores doenças do mundo e para melhorar a educação americana, disse nesta segunda-feira Bill Gates. "Não há razões para que nós não possamos curar as 20 maiores doenças", afirmou o dono da Microsoft ao lado de Buffett em uma cerimônia na Biblioteca Pública de nova York. "Estamos surpresos com a decisão de nosso amigo Warren Buffett de usar sua fortuna para tratar das desigualdades mais desafiantes do mundo", disse Bill Gates, que, além de chairman da Microsoft, é um dos diretores da Berkshire Hathaway. Buffett também anunciou doações para outras instituições de caridade: a Susan Thompson Buffett Foundation (batizada em homenagem à sua mulher, já falecida), à Howard G. Buffett Foundation, comandada por seu filho mais velho, à Susan A. Buffett Foundation, comandada por sua filha, e à NoVo Foundation, chefiada por seu filho mais novo, Peter; cada uma dessas instituições receberá 5% das ações neste ano e 5% do que sobrar a cada ano até a morte de Warren Buffett, ou até que determinadas condições já não se apliquem. No caso da Bill & Melinda Gates Foundation, uma condição é a de que ou Bill Gates ou sua mulher, Melinda, estejam vivos e continuem a administrar sua fundação. Em uma carta com data desta segunda-feira, Buffett informou a Bill e a Melinda Gates que a primeira doação de sua empresa, a Berkshire Hathaway, seria para a fundação dirigida por eles. A Fundação Bill e Melinda Gates, cujos ativos são de US$ 29,1 bilhões, utiliza o dinheiro em programas de saúde mundial, com o combate à pobreza e com o aprimoramento do acesso à tecnologia em países em desenvolvimento. Nos Estados Unidos, a fundação centra-se na educação e na tecnologia nas bibliotecas públicas. Segundo a carta enviada por Buffett, todo o dinheiro doado deve ser distribuído no ano em que foi doado, e não adicionado ao patrimônio da fundação para futuras ações.Ao incorporar a doação de Warren Buffett, a Bill & Melinda Gates Foundation passará a ter um patrimônio de mais de US$ 60 bilhões, consolidando-se ainda mais como a maior entidade filantrópica do mundo (a Ford Foundation tem US$ 11 bilhões, a Lilly Endowment US$ 8,3 bilhões e a Andrew W. Mellon Foundation tem US$ 5,5 bilhões). Em comparação, a ONU e todas as suas agências têm um orçamento anual de US$ 12 bilhões. As informações são da Dow Jones.Warren Buffett é presidente da empresa de investimentos Berkshire Hathaway e é considerado o segundo homem mais rico do mundo, atrás apenas de Bill Gates. Dono de uma fortuna estimada em US$ 44 bilhões, Buffett acumulou tal quantia através de investimentos inteligentes, principalmente por meio da Berkshire Hathaway.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.