GCE cria grupo de trabalho para investigar blecaute

A Câmara de Gestão da Crise Energética (GCE) criou hoje um grupo de trabalho para investigar as causas do blecaute ocorrido na última segunda-feira e fazer uma análise da confiabilidade do sistema de transmissão. Segundo o presidente da GCE, Pedro Parente, o grupo terá prazo de 45 dias para efetuar o trabalho e poderá sugerir à GCE medidas e ajustes do modelo do setor elétrico para evitar novos acidentes do mesmo tipo.Ele disse que esse trabalho terá uma abordagem "estrutural institucional" e ressaltou que a Aneel continuará atuando no evento propriamente dito. O ministro das Minas e Energia, José Jorge, disse que a tarefa do grupo de trabalho "é um papel do governo na questão do planejamento".O grupo de trabalho será formado por seis técnicos, incluindo o professor Alquindar Pedroso, da coordenação de programas de pós-graduação em engenharia (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Da parte do governo participarão Altino Ventura Filho, diretor técnico da Itaipu Binacional e coordenador do grupo; Frederico Arthur Maranhão Tavares de Lima, do Ministério da Minas e Energia; Nelson Martins, do Centro de Pesquisa de Energia Elétrica (Cepel) da Eletrobrás; Leonardo Lins, da Chesf; e Francisco José Alves de Oliveira, da Copel.O grupo terá autonomia para solicitar documentos e informações de qualquer empresa, requisitar funcionários de empresas federais do setor ou contratar outros que julgar necessários. A GCE determinou ainda que a Aneel crie um grupo especial em sua ouvidoria para analisar os danos aos consumidores provocados pelo blecaute e as providências que estiverem sendo adotadas.A agência deverá ainda informar à Secretaria de Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional os casos onde os danos causados sejam "de relevante alcance social". Parente citou como exemplo uma residência que foi incendiada em conseqüência do blecaute.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.