GE dá corpo a recessão nos EUA e Bovespa cai 1,5%

Com novos sinais de que a grave crisede crédito nos Estados Unidos já contaminou a economia do país,a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fez coro com asperdas dos mercados de Wall Street. Com queda de 1,48 por cento, o Ibovespa recuou para 62.585pontos, fechando a semana com baixa acumulada de 2,9 por cento.O volume negociado, de 3,8 bilhões de reais, foi o menor em2008. Para especialistas, a inesperada queda de 6 por cento nolucro do primeiro trimestre da General Electric foiinterpretada pelos investidores como um retrato incontestávelde que os Estados Unidos estão em recessão. Na Bolsa de Nova York, o índice Dow Jones perdeu 2,04 porcento, puxada pelas ações da própria GE, que mergulharam 12,8por cento. "A expectativa agora é de que só virão balançoscorporativos com números ruins daqui para frente", disseHamilton Moreira, analista senior de investimentos BBInvestimentos. Segundo ele, a combinação de atividade econômicanorte-americana retraída com expectativa do início de um ciclode aperto monetário no Brasil na semana que vem repeliu osinvestidores da ponta compradora na Bovespa, especialmente osestrangeiros, que injetaram 2 bilhões no mercado acionáriodoméstico nos primeiros oito dias de abril. "Quem acha que o panorama doméstico é positivo preferiuficar de fora, esperando a divulgação de novos dados econômicosna semana que vem", disse Moreira. Dentre as ações mais negociadas nesta sexta-feira, aspreferenciais da Petrobras caíram 2,2 por cento, a 78,55 reais.Os papéis preferenciais da Vale perderam 0,9 pro cento, a 50,06reais. (Edição de Vanessa Stelzer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.