GE diz que não participou de assembléia de credores da Varig ontem

A General Electric Capital Aviation Services (GECAS) informou no início da tarde de hoje que não participou da votação da assembléia de credores da Varig, realizada ontem. A empresa afirmou que vendeu ao J.P. Morgan, em meados junho de 2006, todos os créditos que possuía da Varig, repassando ao banco todos os direitos concedidos por esses créditos, inclusive o direito de voto.Segundo a GECAS, o JP Morgan, por sua vez, vendeu esses créditos a investidores norte-americanos e estrangeiros no mercado secundário dos Estados Unidos. Desta forma, a votação foi instruída pelos novos proprietários dos créditos. A companhia diz ainda, em nota à imprensa, que não possui qualquer informação sobre a identidade dos novos detentores dos créditos.Ontem, o presidente da Varig, Marcelo Bottini, acusou a GE de ser responsável pelo resultado da assembléia de credores. Eles vetaram as modificações ao projeto original de reestruturação. O executivo havia dito que a GE usou uma manobra para multiplicar seus votos e, além disso, vendeu sem notificação prévia seus créditos para a JP Morgan.Após a recusa dos credores às mudanças no plano de recuperação da Varig, a decisão sobre o destino da empresa ficou novamente nas mãos do juiz da 8ª. Vara Empresarial do Rio de Janeiro, Luiz Roberto Ayoub. Segundo fonte ligadas ao processo de recuperação da companhia aérea, o juiz poderá anunciar ainda hoje que manterá o leilão da Varig para amanhã.Ayoub teria entendido que mais de 90% dos grandes credores da Varig, em volume financeiro, aprovaram as mudanças no plano de recuperação judicial da Varig, o que permitiria levar a leilão a proposta de US$ 500 milhões da VarigLog. De acordo com a fonte, Ayoub considerou essa informação mais importante do que o fato da desaprovação pelo número individual de credores.Durante a manhã desta terça-feira, advogados da Variglog e da Varig reuniram-se com o juiz Ayoub. A VarigLog informou que iria recorrer à Justiça para tentar impugnar os votos da GE Capital na assembléia de credores de ontem. Condições do leilãoEventuais investidores que quiserem participar do leilão amanhã terão de depositar US$ 24 milhões, que é o valor do empréstimo que a VarigLog tem feito para custear a operação da ex-controladora (US$ 20 milhões) até a data da venda mais multa de 20%. Além disso, o potencial investidor tem de apresentar uma carta de fiança bancária de US$ 75 milhões. Esse valor corresponde à primeira parcela do aporte total de US$ 485 milhões previsto pela ex-subsidiária e terá de ser depositado no prazo de 48 horas após a homologação da compra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.