Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Geithner: não pedirei mais dinheiro ao Congresso agora

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos não tem planos imediatos de pedir ao Congresso norte-americano recursos adicionais para estimular o sistema financeiro, embora boa parte dos US$ 700 bilhões autorizados no ano passado já esteja comprometida, disse hoje o secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner. Ele disse que o Departamento vai trabalhar com os congressistas à medida que a situação evolua, mas acrescentou que não está "preparado" para fazer um pedido neste momento.

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

23 de março de 2009 | 12h40

Ele indicou que o governo Obama deixou um espaço em aberto no Orçamento apresentado no mês passado que sugere que poderão ser necessários centenas de bilhões de dólares em recursos adicionais do contribuinte para lidar com os mercados financeiros. "Temos recursos substanciais que serão empregados para apoiar estes programas", afirmou Geithner.

O Congresso dos EUA liberou o uso de US$ 700 bilhões ao Tesouro norte-americano em outubro do ano passado como parte do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês), ainda na gestão do ex-presidente George W. Bush. Com a destinação de US$ 75 bilhões a US$ 100 bilhões para lidar com ativos tóxicos anunciada hoje, isto significa que restam entre US$ 80 bilhões e US$ 110 bilhões nos fundos do Tarp.

Boa parte deste dinheiro poderá provavelmente financiar o programa do Tesouro para recapitalizar os maiores bancos dos EUA com base nos "testes de estresse". "Vamos assegurar que haja capital suficiente no sistema para que estas instituições atravessem uma recessão mais profunda", disse Geithner. As informações são da agência Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUATesouroativos tóxicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.