Geithner: Prorrogar Tarp é importante para saída do governo

Secretário do Tesouro reconheceu a possibilidade de perdas dolorosas para o governo dos EUA no programa

Gustavo Nicoletta, Agência Estado

10 de dezembro de 2009 | 14h56

O secretário do Departamento de Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, defendeu sua decisão de prorrogar o Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp) até outubro de 2010, afirmando aos membros de um painel do Congresso que a administração Obama continua comprometida com a estabilização do sistema financeiro. Ele disse também que a prorrogação era necessária para viabilizar o sucesso do governo em uma futura estratégia de saída do programa.

 

"Embora trabalhemos para devolver os dólares dos contribuintes, esta administração não hesitará em seu compromisso de preservar a estabilidade do sistema financeiro", afirmou Geithner ao Painel de Supervisão do Congresso, uma das várias entidades que fiscalizam o Tarp.

 

Geithner repetiu diversos pontos destacados em uma carta enviada no início desta semana aos congressistas, na qual autorizou a extensão do Tarp, e destacou que alguns investimentos realizados com os recursos do programa estão proporcionando um retorno financeiro melhor que o esperado para os contribuintes.

 

Ele reconheceu a possibilidade de o governo sofrer algumas perdas dolorosas com alguns investimentos do Tarp. "Há uma chance significativa de que não receberemos de volta o valor total dos investimentos na AIG, na GM, e na Chrysler", disse Geithner.

 

O Tesouro dos EUA estima que perderá cerca de US$ 61 bilhões no ano fiscal 2009 apenas com os investimentos nestas três companhias. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.