Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Geithner saúda progresso da Grécia com medidas de ajuste econômico

Em reunião com ministro das Finanças da Grécia, secretário do Tesouro dos EUA ressaltou 'a necessidade da continuada e integral implementação do programa'

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

25 de julho de 2011 | 15h32

O secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, disse ao ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, que ele "saúda o progresso" do país na implementação de medidas de ajuste econômico, afirmou o Departamento do Tesouro norte-americano num comunicado.

Numa reunião com o Venizelos, Geithner "ressaltou a necessidade da continuada e integral implementação do programa", segundo o comunicado. "Eles também discutiram o acordo alcançado pelos líderes europeus na semana passada para reforçar as instituições da zona do euro."

Venizelos foi a Washington para participar de reuniões com a finalidade de assegurar a autoridades do Tesouro norte-americano e do Fundo Monetário Internacional (FMI) que a Grécia pode implementar os programas necessários para receber um pacote de socorro ampliado. O ministro tem reuniões agendadas com a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, e uma série de membros da diretoria executiva do Fundo para discutir o pacote de financiamento maior que os líderes europeus concordaram na semana passada.

Lagarde saudou na semana passada o novo pacote de socorro de 109 bilhões de euros (US$ 157 bilhões) à Grécia, combinado com € 37 bilhões do setor privado para rolagem da dívida grega. Ela indicou que o acordo será suficiente para que o fundo aprove a sua participação no novo financiamento, além do pacote de € 110 concedido pela instituição e a União Europeia para a Grécia no ano passado.

"Com base na forte implementação do programa pelas autoridades gregas, bem como a determinação dos Estados membros europeus de apoiar a Grécia, o FMI continuará a desempenhar o seu papel em sintonia com as políticas da instituição e está, é claro, sujeito à aprovação pelo nosso conselho executivo, afirmou a diretora-gerente do Fundo na semana passada.

Vários membros do conselho expressaram ceticismo de que o programa grego seja sustentável sem um pacote que reduza significantemente a dívida do país. Tendo em vista o alto risco de contágio e a natureza sistêmica da crise, o fundo deverá aprovar o novo empréstimo à Grécia, mesmo que ainda esteja em questão se o novo pacote vai reduzir a dívida grega o suficiente para permitir que ela alcance níveis considerados pela diretoria do FMI como sustentáveis.

Venizelos também tinha um discurso previsto no Peterson Institute for International Economics sobre "A Crise da Dívida Grega: Prospectos e Oportunidades". As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.