Geithner vai ao Congresso discutir solução para ‘abismo fiscal’

Secretário do Tesouro dos EUA se reúne nesta quinta-feira com líderes parlamentares para discutir como evitar o "abismo fiscal" no final do ano

FRED BARBASH, Reuters

29 de novembro de 2012 | 09h44

WASHINGTON - O secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, vai se reunir na quinta-feira com líderes parlamentares para discutir uma forma de evitar o "abismo fiscal" no final do ano, em meio a crescentes sinais de nervosismo do mercado com o atual impasse.

Se o Congresso não agir, amplos aumentos tributários e cortes de gastos públicos entrarão em vigor automaticamente no primeiro dia de 2013. Mas um acordo "não vai acontecer tão cedo", disse o senador republicano John Barrasso em entrevista ao canal Fox Business News na noite de quarta-feira. 

Outro senador republicano, John Thune, disse que "neste momento" existe "um pouquinho de impasse".

A bancada do Partido Democrata se opõe a cortes significativos em programas sociais, e quer aumentar impostos dos norte-americanos mais ricos, poupando a classe média. Já a oposição republicana quer cortes profundos nos gastos públicos, sem aumento tributário nenhum.

A agenda de encontros de Geithner na quinta-feira sugere conversas relativamente limitadas com os republicanos, em vez de negociações intensivas.

Geithner, principal negociador do governo para o "abismo fiscal", estará acompanhado do principal assessor legislativo da Casa Branca, Ron Nabors.

A primeira reunião, com o líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, deve ocorrer por volta de 10h (13h em Brasília); 45 minutos depois, ele conversa com líderes republicanos na Câmara.

Os emissários do presidente Barack Obama vão almoçar com o líder da minoria republicana no Senado, Mitch McConnell, e em seguida se reúnem com a líder da minoria democrata na Câmara, Nancy Pelosi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.