Gelre recrutará cerca de 4 mil temporários para a Páscoa

O mercado já iniciou a busca de profissionais para contratações temporárias na Páscoa. A Gelre, empresa especializada em Recursos Humanos, anunciou nesta segunda-feira que irá abrir vagas para cerca de 4 mil trabalhadores em todo o Brasil. As oportunidades são para atuar tanto no ponto-de-venda quanto na linha industrial. Segundo a Gelre, o incremento da demanda foi 36% superior ao ano passado.As contratações serão dividas em duas etapas. Em fevereiro, estarão abertas as oportunidades para o setor industrial, para vagas em linhas de produção, como montadores de ovos e supervisores. A remuneração média desta categoria é de R$ 500,00 a R$ 1.200,00. Em março, quando acontece o maior volume de contratações, segundo a Gelre, as oportunidades são voltadas para o segmento de promoção. De acordo com a empresa de Rh, o setor do varejo é o que mais absorve - em média 70%. As vagas disponíveis são para promotores de vendas que irão atuar na montagem de parreiras, reposição de produtos e atendimento ao público. A remuneração média é de R$ 470,00 a R$ 530,00, com benefícios diversificados.Entre as exigências, é necessário o candidato ter concluído o ensino médio e ter disponibilidade de horário. Além disso, outros requisitos são: ter boa desenvoltura no atendimento ao público, criatividade, organização e trabalho em equipe. A gerente de Recursos Humanos da Gelre, Sidnéia Palhares, lembra aos candidatos que mesmo sendo um trabalho temporário, é possível a efetivação. Em média, de 15% a 30% do total de contratados são efetivados. Por isso, avisa aos que pretendem ser efetivados: "É interessante que mantenham boa conduta, pois o desempenho, a postura e a iniciativa são fatores levados em consideração pelo empregador."O processo de seleção envolve entrevistas e dinâmicas e vai até o inicio de março. Os interessados podem se inscrever na Central de Cadastro, localizada na região central da capital paulista, ou nas unidades Gelre ou pelo site da empresa. O cadastramento é gratuito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.