Genro descarta impacto político com Operação Persona

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou hoje que o governo não teme impacto político em conseqüência do inquérito resultante da Operação Persona, que desmantelou esquema de fraudes em importação de equipamentos de informática adquiridos da multinacional Cisco System para grandes redes no Brasil e para órgãos públicos. As fraudes que teriam causado à Receita Federal prejuízos no valor de R$ 1,5 bilhão em sonegação.Durante a investigação, escutas telefônicas de alguns envolvidos revelaram que empresas teriam feito uma doação de R$ 500 mil ao PT em troca de favorecimento em uma licitação da Caixa Econômica Federal (CEF). "A orientação que a PF tem é de que aqueles fatos paralelos que aparecem no inquérito sejam investigados", disse o ministro.Caso a Justiça assim decida, a PF vai investigar, seja de quem for e para onde for", afirmou o ministro, após abrir o seminário que a Polícia Federal (PF)realiza, em Brasília, de hoje até quarta-feira, para definir seu planejamento para os próximos 15 anos. O ministro elogiou a atuação da PF, afirmando que é "um exemplo de instituição republicana" que alcançou "alto nível de respeitabilidade" perante a população.

VANNILDO MENDES, Agencia Estado

29 de outubro de 2007 | 13h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.