Carlo Allegri / Reuters
Carlo Allegri / Reuters

George Clooney e a tequila de R$ 1 bi

Ator e mais dois amigos tinham a intenção de fazer a melhor tequila premium do mundo; produto foi vendido para a britânica Diageo, maior fabricante de destilados

O Estado de S.Paulo

21 Junho 2017 | 23h20

Há quatro anos, o ator George Clooney desenvolvia um projeto imobiliário com dois amigos no México, quando resolveram montar uma destilaria. A intenção era fazer a melhor tequila premium do mundo, para “tomar a noite toda com os amigos”, segundo seu sócio (e marido da modelo Cindy Crawford), Randi Gerber. Nascia ali a Casamigos, vendida ontem para a britânica Diageo por até US$ 1 bilhão. 

Maior fabricante de destilados do mundo, a dona da vodca Smirnoff, do bourbon Johnnie Walker e da cachaça Ypióca desembolsará inicialmente US$ 700 milhões. Outros US$ 300 milhões poderão entrar na conta, dependendo do desempenho da Casamigos pelos próximos dez anos. A Diageo diz contar com Clooney e seus sócios para continuar impulsionando a marca. No ano passado, foram vendidas 120 mil caixas com 12 garrafas cada, que deverão se tornar 170 mil neste ano. O crescimento anual da Casamigos foi de 54% ao ano, nos últimos dois anos. 

“Se nos perguntassem se tínhamos uma empresa bilionária há quatro anos, teríamos dito não”, disse Clooney. “Isso mostra nossa crença na Diageo e a dela em nós: não vamos a lugar algum. Ainda somos parte da Casamigos. Começando com um shot esta noite. Ou dois.”

Mais conteúdo sobre:
George Clooney

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.