finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Geração de emprego formal no País foi recorde em 2006

A geração de empregos formais nos setores público e privado bateu recorde no ano passado, segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2006, divulgados hoje pelo ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Foram criados 1,917 milhão de vagas, um aumento de 5,77% na comparação com 2005. É a maior variação absoluta desde 1985, quando se inicia a série da Rais.Os dados mostram também que a massa de salários aumentou 11,97% no ano passado, a maior taxa de crescimento desde 1995. "Meu chutômetro é que a Rais de 2007 será ainda melhor que a de 2006", disse Lupi. "Todas as indicações vão nessa direção."Nos quatro anos do primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Rais indica a abertura de 6.471.336 novas vagas de trabalho. A Rais capta o emprego formal de trabalhadores celetistas, estatutários e temporários. Ela é diferente do Cadastro Nacional de Emprego e Desemprego (Caged), divulgada mensalmente pelo Ministério do Trabalho, porque a Rais incorpora os trabalhadores do setor público.Também é uma estatística diferente da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pois a PNAD considera também os empregos informais e os empregados domésticos, que não entram na Rais nem no Caged.

LU AIKO OTTA, Agencia Estado

22 de novembro de 2007 | 13h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.