finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Geração de energia elétrica sobe 4% em julho no País

Expansão está em linha com as projeções do ONS e da EPE para o crescimento nos próximos dez anos

Alaor Barbosa, da Agência Estado,

31 de julho de 2007 | 14h53

A geração de energia elétrica em julho registrou aumento de 4% sobre julho do ano passado, segundo dados preliminares do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), órgão que administra a produção de energia elétrica no País.  Em termos absolutos, a geração total em julho oscilou em torno de 48.019 MW médios, com acréscimo de 1.831 MW médios sobre o contabilizado em igual período de 2006. Em relação a junho, houve aumento de 0,5% e no período acumulado em 12 meses a variação ficou em 4,3%. No acumulado em sete meses, até julho, a expansão foi de 4,4% em relação a igual período de 2006. A expansão de julho está em linha com as projeções do ONS e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), que trabalham com cenário de expansão de 4% ao ano para os próximos 10 anos no crescimento do mercado interno.  Os dados deste mês, porém, estão abaixo do observado no período de março a maio. Em março, por exemplo, a expansão atingiu 5,39% em relação ao mesmo mês do ano passado, subindo para 7,52% em abril e 5,13% em maio. O ritmo mais acelerado nesses meses resultou principalmente da temperatura mais elevada no verão deste ano, em relação ao registrado em 2006. Regiões A região Sudeste/Centro-Oeste, que concentra cerca de dois terços do consumo nacional, continuou com taxas inferiores à media nacional, com aumento de 3,2% este mês sobre igual mês de 2006. No Nordeste a expansão atingiu 7,6%, 3,6% na região Norte e 3,8% no sul do País.  Para o ONS a menor expansão no Sudeste está ligada à queda da temperatura nas duas últimas semanas. Além da atividade industrial, o consumo/geração de energia elétrica está diretamente vinculado à temperatura média nas regiões.

Tudo o que sabemos sobre:
Geração de energia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.