Geração Tietê: papéis serão resgatáveis

A Companhia de Geração de Energia Elétrica Tietê criou uma operação alternativa para recolher suas ações do mercado. Em complemento à oferta tradicional de compra dos papéis, a empresa possibilitará a troca dasações por classes específicas, resgatáveis em até três anos. Segundo a diretora Financeira e de Relações com Investidores da Tietê, Andrea Cristina Ruschmann, a conversão de ações traz uma vantagem adicional ao acionista. Isso porque os novos papéis poderão ser negociados livremente no mercado, até a data do resgate. A oferta de compra prevê o pagamento de R$ 7,50 por lote de mil ações ordinárias da Tietê. O valor para as preferenciais - PN, sem direito a voto - é de R$ 12,50 por lote de mil e ambos terão o seguinte cronograma de pagamento: 25% à vista, 35% em maio de 2001 e o restante em maio de 2002. A alternativa elaborada pela Tietê começa com a conversão das ações da empresa em quatro tipos de preferenciais, das classes B, C, D e E. Tais ações serão resgatadas pelo preço de emissão, de R$ 12,50 por lote de mil, que corresponde ao mesmo valor estipulado na oferta de compra. Uma das diferenças entre as operações é o tempo estimado para que o dinheiro chegue ao bolso dos acionistas: cinco dias úteis para as ações PNB, um ano para as PNC, dois anos para as PND e três anos para as PNE. Todos os prazos serão contados a partir do término da conversão dos papéis e poderão ser antecipados, a critério da empresa.Cada ação preferencial poderá ser trocada por papéis resgatáveis na seguinte proporção: 25% em PNB, 15% em PNC, 25% em PND e 35% em PNE. Para as ordinárias, a divisão de classes será a mesma, mas o acionista precisará de mais papéis para entrar na operação, em função da diferença de preços na oferta de compra. Sudameris recomenda conversão dos papéisConfrontando as opções, o analista Marcos Severine, da Sudameris Corretora, recomenda aos acionistas da Tietê que convertam seus papéis. Pelos cálculos preliminares da Tietê, serão emitidas aproximadamente 21 bilhões de ações preferenciais resgatáveis. O montante exato somente será conhecido após a conclusão de uma auditoria externa, que está analisando questões específicas de balanço. A implementação da proposta de conversão de ações dependerá de aprovação em assembléia de acionistas, incluindo uma convocação especial para os detentores de papéis preferenciais. As datas das reuniões devem ser conhecidas até o fim da semana. O processo faz parte de uma ampla reestruturação societária na Tietê, cujos detalhes finais ainda dependem de autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o que deve ocorrer em breve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.