Gerdau investe em mercado dominado pela Usiminas

Grupo anunciou investimento de US$ 400 milhões em um laminador de chapas grossas

Natalia Gómez, O Estadao de S.Paulo

06 de dezembro de 2007 | 00h00

O Grupo Gerdau anunciou ontem que vai investir US$ 400 milhões em um laminador de chapas grossas, equipamento voltado para a produção de aços planos, com capacidade instalada anual de 870 mil toneladas. Em comunicado, a empresa informou que o equipamento entrará em operação em 2010, gerando mais de 200 novos empregos. A localização da nova unidade, porém, ainda não foi definida. Usadas para a construção de navios, tubos e obras de infra-estrutura, as chapas grossas estão em alta no Brasil por causa do aquecimento da demanda interna. A expectativa do mercado é de que o segmento de chapas grossas cresça de 8% a 15% no ano que vem, após um avanço de 53% nas vendas este ano. Atualmente, o único produtor nacional de chapas grossas é a Usiminas, que estima fabricar este ano 1,69 milhão de toneladas. Por causa do aquecimento da demanda superior ao esperado no País, a Usiminas importou cerca de 110 mil toneladas este ano, além de ter reduzido suas exportações para atender ao mercado doméstico.O plano da Gerdau é vender chapas grossas no mercado interno e também no exterior, seguindo sua estratégia de internacionalização. Especializada em aços longos, a Gerdau já produz aços planos no Peru, com a Siderperu, e nos Estados Unidos, com a joint venture Gallatin. No Brasil, a empresa vende aços planos produzidos por terceiros desde 1971."Estamos expandindo nossa experiência em aços planos da área comercial para a área industrial no Brasil, com objetivo de prestar melhores serviços aos nossos clientes, oferecendo uma linha de produtos mais completa", disse, em nota, o diretor-geral de operações do Grupo Gerdau, Claudio Gerdau Johannpeter.INTERNACIONALIZAÇÃOA Gerdau, maior grupo siderúrgico nacional, já investiu cerca de R$ 11 bilhões este ano apenas em aquisições no exterior - foram 12 no total. A última dessas aquisições, da siderúrgica americana Macsteel - maior fornecedora de aços planos para a indústria automobilística dos EUA -, foi fechada no final do mês passado, um negócio de US$ 1,6 bilhão. A maior aquisição feita pela empresa este ano, e também a maior de sua história, foi a da também americana Chaparral Steel, que custou US$ 4,2 bilhões. O ciclo de aquisições deste ano já é o maior desde que a Gerdau iniciou seu processo de internacionalização, no início dos anos 80. O grupo registou de janeiro a setembro deste ano uma receita total de R$ 25,1 bilhões, um crescimento de 16,1% em relação ao mesmo período do ano passado. O lucro líquido alcançou R$ 3,4 bilhões no período, um crescimento de 7,6% na comparação com 2006. Esses resultados já incluem os números de algumas das empresas compradas este ano, como a siderúrgica mexicana Tultitlán, a Inca, da República Dominicana, e a Siderúrgica Zuliana, da Venezuela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.