Gerdau
Gerdau

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Gerdau vende unidades nos EUA por US$ 600 milhões para reduzir dívida

Companhia gaúcha, que tem débitos de R$ 18,7 bilhões, se desfez de quatro usinas e 33 unidades de beneficiamento de aço para americana CMC

Mônica Scaramuzzo, O Estado de São Paulo

03 de janeiro de 2018 | 05h00

A siderúrgica gaúcha Gerdau anunciou ontem a venda de parte de seus negócios nos Estados Unidos para o grupo americano Commercial Metals Company (CMC). O valor da transação, de US$ 600 milhões, inclui quatro usinas produtoras de barra de metal (vergalhão) e 33 unidades de beneficiamento. Boa parte dos recursos será usada para reduzir o endividamento da empresa, que chegou a R$ 18,7 bilhões no terceiro trimestre do ano passado. 

O hemisfério Norte responde por 40% da receita líquida global da companhia. No terceiro trimestre, o faturamento do grupo foi de R$ 9,5 bilhões. A Gerdau tem 110 unidades nos EUA e Canadá, entre usinas produtoras e centrais de beneficiamento de aço. A meta da empresa é se manter em negócios que gerem maior rentabilidade.

As unidades produtoras vendidas pela companhia estão localizadas em Knoxville (Tennessee), Jacksonville (Flórida), Sayreville (New Jersey) e Rancho Cucamonga (Califórnia), com capacidade total de 2,5 milhões de toneladas por ano. 

A operação deverá ser concluída até o fim do ano e depende de autorização dos órgãos regulatórios locais. “A decisão de vender unidades nos EUA é parte do nosso processo de transformação global, buscando nos tornar mais rentáveis no mercado americano”, disse o vice-presidente executivo do conselho de administração, André Gerdau Johannpeter, em fato relevante.

Em agosto passado, o grupo informou que o executivo, que teve seu nome envolvido nas investigações da Operação Zelotes, da Polícia Federal, deixaria a presidência. Gustavo Werneck, diretor executivo das operações no Brasil, assumiu o posto. 

Redução de dívida. Com pesada dívida – que totalizava R$ 18,7 bilhões no terceiro trimestre (valor bruto) –, a Gerdau tem se desfeito de negócios nos últimos anos. De 2014 até o ano passado, o grupo se desfez de diversos ativos no exterior, levantando R$ 3,2 bilhões. O grupo tem dívidas de R$ 2,7 bilhões que devem ser pagas entre este ano e 2019. 

A venda anunciada ontem foi bem recebida no mercado. As ações preferenciais da Gerdau fecharam em alta de 4,77% e os papéis da Metalúrgica Gerdau (holding do grupo) subiram 4,49%. 

Para analistas do Banco do Brasil e do BTG, a venda dessas unidades nos EUA é considerada positiva. A divisão de negócios da Gerdau nos EUA hoje tem capacidade anual de 9,1 milhões de toneladas de produtos acabados. A venda das 37 unidades vai reduzir a produção em 2,5 milhões de toneladas, com a saída de vergalhões (voltado para construção civil) para se dedicar a aços especiais, com maior valor no mercado. /COLABOROU LUANA PAVANI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.