Reuters/Shannon Stapleton
Reuters/Shannon Stapleton

Gestora de recursos BlackRock expõe dados de consultores na internet

Os links tinham data de 5 de dezembro, mas ainda não está claro por quanto tempo ficaram públicos, reportou a agência de notícias Bloomberg

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2019 | 18h15
Atualizado 22 de janeiro de 2019 | 21h52

A BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, publicou inadvertidamente informações de milhares de consultores em seu site. 

Os dados apareceram em três planilhas e estavam ligados às transações de ETFs feitas pelas empresas – nos documentos, era possível ver nomes e endereços de email de consultores financeiros que compram os títulos da companhia em nome de seus clientes. Além disso, era possível ver quais ativos cada consultor tinha sob seu controle. 

Os links tinham data de 5 de dezembro, mas ainda não está claro por quanto tempo ficaram públicos. Os dados foram vistos pela agência de notícias Bloomberg nesta sexta-feira, 18, e foram removidos no mesmo dia. Hoje, a BlackRock, que supervisiona ativos de US$ 6 trilhões, é o maior emissor de ETFs do mundo. Uma das planilhas tinha dados de mais de 12 mil consultores; eles também eram classificados como “usuários poderosos” ou “diletante”. 

“Estamos conduzindo uma revisão do assunto”, disse o porta-voz Brian Beades, em um comunicado à imprensa na sexta-feira. “A publicação temporária das informações está relacionada a dois parceiros de distribuição atendendo consultores independentes e não inclui informações de seus clientes”. A gestora afirma que não houve falha de sistema, mas sim erro humano./ AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Mais conteúdo sobre:
BlackRockprivacidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.