Ghosn: Brasil será pouco afetado por recessão nos EUA

O presidente mundial da Renault e Nissan, Carlos Ghosn, prevê que a economia brasileira não sofrerá forte impacto negativo por uma possível recessão nos Estados Unidos. ?O Brasil poderá ter uma pequena desaceleração do crescimento, nada além disso?, afirmou Ghosn, que participa do Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça).Segundo ele, o aumento das vendas de automóveis no País, que foi de 25% no ano passado, deve continuar positivo, embora num ritmo um pouco menos acelerado. Ghosn afirmou que a previsão de crescimento de 10% nas vendas mundiais da Renault em 2008 já levou em conta um cenário de recessão nos Estados Unidos e em outros países, como no Leste europeu. ?Mas na Ásia, América Latina e em outras regiões, o impacto será muito menor e os mercados continuarão tendo um desempenho razoavelmente forte?, disse.O executivo ressaltou que os planos de investimentos da Renault no Brasil não serão afetados pela atual turbulência nos mercados financeiros e as incertezas com a economia mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.