Giannetti estima que Brasil perderá US$ 3,5 bi com Argentina

O secretário executivo da Câmara de Comércio Exterior (Camex), Roberto Giannetti da Fonseca, calcula que a perda das exportações brasileiras para a Argentina deverá ficar em torno de US$ 3,5 bilhões este ano. As exportações para o país vizinho este ano, segundo ele, deverão somar cerca de US$ 1,5 bilhão. "Trata-se de uma perda absolutamente dramática", relatou o secretário, ao defender que a queda das exportações este ano não será motivada pela falta de políticas destinadas ao setor exportador por parte do governo. Giannetti destacou ainda que as perdas comerciais de exportação com a queda dos preços dos produtos básicos no mercado internacional deve somar algo como US$ 2 e US$ 3 bilhões este ano, e que a reprogramação de entregas da Embraer em função dos atentados terroristas em 11 de setembro nos EUA responderá por uma perda aproximada de US$ 1 bilhão. "Com isso, teremos cerca de US$ 7 bilhões de redução total das exportações neste ano", afirmou Giannetti, lembrando ainda que países considerados exemplos para o Brasil na área de comércio exterior, como o México e a China, estão tendo crescimento negativo de vendas este ano. Ele destacou também que o desempenho das exportações brasileiras tem sido razoável, ainda que insuficiente, e que o País ainda paga pelo longo período em que adotou políticas de viés indiretamente anti-exportação que, segundo ele, encerrou-se em fevereiro de 1999 com a desvalorização do real. "Vamos levar anos ou até décadas para que recuperemos tudo o que foi perdido", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.